Quem é o professor na pandemia?


O professor na pandemia foi essencial para dar continuidade ao processo de ensino e aprendizagem a distância e não prejudicar o desenvolvimento dos alunos. Mesmo com o retorno das aulas presenciais, a experiência foi muito importante e certamente continuará sendo válida.

No post de hoje, trazemos essa reflexão sobre o papel do professor na pandemia. Confira!

professor na pandemia

Vida de professor na pandemia

O fechamento das escolas devido à necessidade de prevenção a COVID-19 fez com que o ensino remoto fosse adotado para dar continuidade ao processo de ensino e aprendizagem.

Isso fez com que os professores precisassem se reinventar e se adaptar à nova modalidade de ensino, para que seus alunos não fossem prejudicados pela falta de aulas presenciais.

O professor na pandemia é, então, aquele que deixou as salas de aula para ensinar a distância, da sua própria casa, pela internet, interagindo com seus alunos em aulas on-line.

Mesmo distante, o professor continua sendo fundamental para a formação dos alunos, pois é ele quem orienta e direciona a aprendizagem e o desenvolvimento, auxiliando a busca ativa por conhecimento em casa.

Ele precisou aprender a dar aulas on-line, pois não era uma prática habitual da Educação Básica reestruturar todo o plano de aulas e buscar novas estratégias para motivar os estudantes.

Muitos não estavam familiarizados com os recursos digitais, essenciais para o ensino remoto, pois a formação dos professores não costuma ensinar essas habilidades, o que dificultou o trabalho.

Além disso, muitas instituições de ensino não ofereciam recursos tecnológicos para apoiar os professores no ensino remoto, como o Ambiente Virtual de Aprendizagem, em que são disponibilizados materiais para os alunos e um canal de comunicação direto.

Foi um grande desafio para o professor na pandemia, mas ele conseguiu superar as dificuldades e atender às necessidades educacionais de seus alunos, que, mesmo distantes, puderam aprender.

 

Características do professor na pandemia

O ensino remoto alterou muito o trabalho dos professores, que precisaram adotar diferentes metodologias e estratégias para dar continuidade ao seu trabalho, mas com isso aprenderam novas habilidades, essenciais para o desenvolvimento profissional e pessoal.

Confira algumas mudanças positivas que a pandemia trouxe para os professores:

Professor na pandemia – Comunicação com os alunos em ambientes virtuais

A comunicação entre os professores e alunos durante a pandemia precisou ser feita exclusivamente pelos canais de comunicação digitais, para tirar dúvidas, comunicar dificuldades, compartilhar informações, entre outros.

Os professores estavam acostumados a falar diariamente com os alunos na sala de aula, pois essa interação é fundamental para o sucesso do processo de ensino e aprendizagem, mas precisaram se adaptar a esse novo formato de comunicação.

O ambiente virtual configura as relações durante a pandemia entre os alunos e professores, sendo que cada um participa da aula de sua casa, conversando por chats ou por outras ferramentas digitais, tendo contato por vídeo ou áudio.

As aulas on-line ocorrem no encontro entre os participantes, por isso é importante que todos participem e interajam para que ela seja produtiva e permita a aquisição dos conhecimentos.

Professor na pandemia – Encaminhamento metodológico para o plano de aulas remotas

Os professores estavam acostumados a apresentar os conteúdos em sala de aula e depois solicitar que os alunos fizessem atividades relacionadas em casa, mas com o ensino remoto essa prática precisou ser modificada, alterando todo o plano de aulas.

Como os alunos já estavam em casa, muitos professores passaram a encaminhar os conteúdos previamente, para serem estudados antes da aula on-line e discutidos durante a aula, priorizando as dúvidas e a fixação dos conteúdos já internalizados, o que facilita o processo — semelhante ao conceito de sala de aula invertida.

Esse trabalho do professor foi essencial para que os alunos conseguissem estudar sozinhos em casa, com a orientação necessária e a disponibilidade para tirar qualquer dúvida.

Professor na pandemia – Aulas on-line

Certamente, os professores da Educação Básica não haviam dado aulas on-line antes, já que essa modalidade de ensino é mais comum na Educação Superior, e assim foram pegos de surpresa com tal necessidade.

No início surgiram muitas dificuldades, pois as aulas on-line precisam ser atrativas, dinâmicas e convidativas, para estimular o engajamento de quem assiste e possibilitar a aprendizagem.

Para conseguir ministrar aulas on-line, os professores precisam dominar as ferramentas digitais e utilizá-las a seu favor, conforme as necessidades da escola e dos alunos.

Algumas escolas optaram pela transmissão ao vivo das aulas on-line, e outras solicitaram aos professores para gravar as aulas e depois disponibilizá-las aos alunos, podendo ser assistidas a qualquer momento.

Esse formato de aula demanda preparo prévio, para que saia conforme o planejado e atinja os objetivos, apresentando os conteúdos curriculares de modo esclarecedor para propor atividades baseadas no que foi apresentado.

O próprio professor precisa gravar a aula ou transmitir ao vivo, considerando diversos detalhes específicos, com os quais não precisava se preocupar no ensino presencial.

Muitos detalhes são necessários para produzir uma aula on-line, como equipamentos, cenário, edição de vídeo, entre outros. Tudo isso passou a ser uma preocupação do professor na pandemia, para que suas aulas on-line fossem efetivas e apresentassem bons resultados.

Leia também: Como está a qualidade de ensino durante a pandemia?

Professor na pandemia – Utilizar tecnologia educacional

O professor na pandemia adotou como principais recursos de trabalho materiais e ferramentas digitais para ensinar. Ele já utilizava alguns recursos tecnológicos, mas em menor quantidade.

A competência “Cultura Digital” da BNCC foi muito útil durante a pandemia, estimulando o seu uso para melhorar a aprendizagem durante o ensino remoto:

Compreender, utilizar e criar tecnologias digitais de informação e comunicação de forma crítica, significativa, reflexiva e ética nas diversas práticas sociais (incluindo as escolares) para se comunicar, acessar e disseminar informações, produzir conhecimentos, resolver problemas e exercer protagonismo e autoria na vida pessoal e coletiva” (BNCC, 2018).

Professor na pandemia – Atividades e avaliações diferenciadas

As atividades para o ensino remoto e as formas de avaliação precisam ser adaptadas, pois tudo precisa ser feito pela internet: o encaminhamento, a correção e a devolutiva.

Os professores precisam encaminhar roteiros práticos e estruturados para a família acompanhar a resolução de atividades pelas crianças e orientar na organização de uma rotina diária de tarefas escolares.

O método avaliativo para aulas remotas também precisa ser adaptado, considerando diferentes aspectos e utilizando diferentes instrumentos, priorizando a avaliação qualitativa e focando no processo de evolução dos alunos nesse contexto.

As avaliações on-line também foram adotadas por muitas escolas. Elas contêm o mesmo conteúdo, o mesmo objetivo e a mesma estrutura de provas impressas realizadas na escola, o que é o formato de prova e a maneira de aplicação.

Parceria maior com a família

O suporte da família é essencial para que o ensino remoto seja eficaz. A pandemia fez com que a família precisasse participar mais ativamente da educação dos alunos, para apoiar o trabalho dos professores.

Com as crianças estudando em casa, os professores encaminham conteúdos e atividades, e os familiares precisam orientar, acompanhar e ajudar nos estudos, fazendo com que o contato direto com o professor fosse necessário.

Antes, a família confiava a educação dos alunos prioritariamente à escola e participava de maneira mais distante, mas o professor na pandemia precisou da ajuda dos pais e responsáveis para efetivar a aprendizagem.

Metodologias diferenciadas

O professor na pandemia também precisou de criatividade para adaptar seus métodos habituais para utilizar no ensino remoto, principalmente no que diz respeito à autonomia dos alunos.

As metodologias ativas no ensino remoto foram essenciais para a aprendizagem, pois estimularam os alunos a buscar o conhecimento e realizar atividades sozinhos, pedindo ajuda somente quando tivessem dificuldades.

Outras metodologias que ajudaram o professor da pandemia foram o ensino híbrido e a sala de aula invertida, que possibilitam a aprendizagem dentro e fora da escola, combinando o trabalho do professor e o papel ativo dos alunos no próprio aprendizado.

professor na pandemia

Os aprendizados dos professor na pandemia

A pandemia trouxe muitos desafios para todos nós, mas também possibilitou muitos aprendizados, pois toda crise pode ser considerada uma oportunidade de evoluir e crescer, tanto a nível pessoal, quanto profissional.

O professor na pandemia desenvolveu novas habilidades, que de outro modo talvez não tivessem a oportunidade, como melhorar seu relacionamento com as tecnologias.

A tecnologia educacional é indispensável para ensinar as novas gerações, e a pandemia permitiu que se habituassem ao uso de recursos digitais para ensinar, o que foi muito positivo e pode melhorar seu trabalho daqui em diante.

A necessidade de realizar formação continuada foi percebida pelos professores durante a pandemia, para aprender novas habilidades e se aperfeiçoar, o que ajuda a solucionar problemas e desafios, bem como se adaptar às práticas inovadoras da educação.

O professor da pandemia também se deparou com a maior necessidade de trabalhar as competências socioemocionais com os alunos, pois o cenário de crise mostrou a importância dos aspectos emocionais para a aprendizagem, que serão mais considerados na volta às aulas presenciais.

O que vai ficar pós-pandemia?

Os aprendizados adquiridos durante a pandemia certamente ficarão para os professores e para toda a comunidade escolar, que juntos buscam sempre pela melhoria da educação.

Os modelos de ensino inovadores, como o ensino híbrido, a sala de aula invertida, as metodologias ativas e a autonomia dos alunos, foram priorizados durante a pandemia e se mostraram muito positivos, e a tendência é que continuem sendo adotados pelas escolas.

A tecnologia também será utilizada com maior intensidade, visto que os recursos digitais facilitam a vida de alunos e professores, e estimularam diversas habilidades essenciais.

Outro aprendizado importante que ficará é a participação mais ativa da família. A pandemia fortaleceu a parceria com a escola, pois ela precisou de ajuda mútua para apoiar os alunos estudando em casa.

A parceria da escola com um sistema de ensino também foi essencial para apoiar o trabalho dos professores, que receberam orientações, materiais e recursos tecnológicos para conseguir ensinar a distância.

Por mim, a formação continuada certamente será priorizada após a pandemia, para que os professores tenham mais suporte em seu trabalho e estejam sempre preparados para as necessidades que surgirem.

___________________________________________________________________

A pandemia trouxe muitos desafios, mas muitos aprendizados também! O SAE Digital esteve com as escolas parceiras durante esse período e vai continuar oferecendo produtos e serviços para sempre oferecer uma educação de qualidade aos nossos alunos.

Não é uma escola parceira do SAE ainda? Fale com um dos nossos assessores e conheça todas as soluções que temos para a sua escola! Venha evoluir com a gente!

Acompanhe o nosso blog para ter acesso a mais informações! Visite também nossas redes sociais para conferir conteúdos exclusivos, com dicas e atualidades!

 

Quem é o professor na pandemia?


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Acessos