Práticas de cidadania na escola – Como incentivar seus alunos


Práticas de cidadania na escola

As práticas de cidadania na escola são fundamentais para formar alunos com responsabilidade social e que saibam construir boas relações, bem como desenvolver habilidades importantes nos âmbitos pessoal, profissional e comunitário.

A cidadania ensina aos alunos seus direitos e deveres, tornando-os aptos a cumprir princípios éticos e morais necessários para atuar na sociedade de maneira positiva, por meio do diálogo, do respeito e da colaboração.

De acordo com a Constituição Federal, artigo 205, a educação está diretamente relacionada à cidadania e é um direito fundamental cuja responsabilidade é compartilhada entre o Estado, a família e a sociedade:

A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho” (BRASIL, 1988).

Práticas de cidadania na escolaSegundo a BNCC, o enfoque do trabalho pedagógico deve estar pautado no desenvolvimento de competências que estimulem os alunos a saber e a saber fazer. Para isso, eles devem se basear em conhecimentos, habilidades, atitudes e valores que permitam resolver demandas complexas da vida cotidiana, do pleno exercício da cidadania e do mundo do trabalho.

Além disso, a base entende que a aprendizagem ocorre na interação entre as pessoas, o que fortalece o potencial da escola como espaço formador e orientador para a cidadania consciente, crítica e participativa.

Nesse sentido, o exercício da cidadania envolve a condição de se conectar com os fatos do mundo e opinar sobre eles, bem como propor pautas de discussão e solução de problemas para encontrar formas de atuação na vida pública.

As práticas de cidadania na escola permitem aos alunos ampliar as possibilidades de participação em diferentes campos de atividade humana, o que é essencial para uma formação integral.

Uma das dez competências gerais da BNCC é “Responsabilidade e Cidadania”, e sua descrição é a seguinte:

Agir pessoal e coletivamente com autonomia, responsabilidade, flexibilidade, resiliência e determinação, tomando decisões com base em princípios éticos, democráticos, inclusivos, sustentáveis e solidários” (BRASIL, 2018).

Dito isso, para trabalhar práticas de cidadania na escola, a base oferece orientações importantes para nortear os objetos de conhecimento a serem abordados.

A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) também define como objetivo do Ensino Médio as práticas pedagógicas que incluam a preparação básica para o trabalho e a cidadania do educando, para continuar aprendendo, de modo a ser capaz de se adaptar com flexibilidade a novas condições de ocupação ou aperfeiçoamento posteriores.

Como trabalhar a cidadania na sala de aula?

Para estimular o desenvolvimento da cidadania na escola, segundo a BNCC, é preciso proporcionar aos alunos as seguintes habilidades:

  • Incorporação de direitos e responsabilidades – conseguir se posicionar em relação a direitos e responsabilidades para além de seus interesses individuais e considerando o bem comum;
  • Tomada de decisão – ter consciência do impacto que suas decisões têm nos grupos e na sociedade, responsabilizando-se por suas ações para planejar e decidir coletivamente sobre questões que afetam a todos;
  • Ponderação sobre consequências – saber refletir sobre situações concretas em que gatilhos emocionais, frustrações e ações pessoais causam impactos nos demais e no contexto, buscando formas de aprimoramento;
  • Análise e incorporação de valores próprios – vivenciar e identificar valores importantes para si e para o coletivo. Assim, precisam considerar seus valores em situações novas, ponderar sobre o correto a ser feito antes de agir e, em seguida, agir de acordo com essa reflexão;
  • Postura ética – reconhecer e ponderar valores conflitantes e dilemas éticos antes de se posicionar e tomar decisões;
  • Participação social e liderança – realizar projetos escolares e comunitários, mobilizando pessoas e recursos, e assumir liderança compartilhada em grupos e na escola;
  • Solução de problemas ambíguos e complexos – ficar confortável e sentir interesse em lidar com desafios do mundo real que demandam novas abordagens ou soluções.

Conforme a BNCC, as práticas de cidadania na escola são contempladas nas áreas de Linguagens, Ciências da Natureza e Ciências Humanas.

Práticas de cidadania na escola – Como incentivar seus alunos

Práticas de cidadania na escola – Linguagens

Língua Portuguesa

Nas práticas de linguagem, a cidadania é abordada no campo da vida pública, ao propor leitura e escrita de textos que se referem à cidadania e ao exercício de direitos, especialmente artigos jornalísticos, publicitários, políticos, jurídicos e reivindicatórios.

Alguns gêneros textuais desse campo para trabalhar em sala de aula a fim de engajar os alunos em uma causa, buscar soluções para um problema e propor intervenções práticas são:

  • Notas;
  • Álbuns noticiosos;
  • Notícias;
  • Reportagens;
  • Cartas do leitor (revista infantil);
  • Comentários em sites para criança;
  • Textos de campanhas de conscientização;
  • Estatuto da Criança e do Adolescente;
  • Abaixo-assinados;
  • Cartas de reclamação;
  • Regras e regulamentos.

As atividades a serem desenvolvidas com base nos textos são:

  • Propor à turma a leitura e compreensão conjunta dos textos e realizar uma discussão sobre o tema, em que todos participem contribuindo com opiniões e compartilhando dúvidas;
  • Elaborar uma campanha de conscientização sobre um tema que envolva a cidadania, como os direitos das crianças e dos adolescentes conforme o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA);
  • Analisar textos e distinguir fatos de opiniões/sugestões;
  • Produzir notícias sobre fatos ocorridos no universo escolar;
  • Apresentar um tema polêmico relacionado a situações vivenciadas na escola e/ou na comunidade e estimular os alunos a opinar e defender um ponto de vista, de forma oral ou escrita;
  • Buscar e selecionar informações de interesse sobre fenômenos sociais e naturais em textos que circulam nos meios de comunicação;
  • Produzir textos sobre temas de interesse, com base em resultados de observação e pesquisas em fontes de informação;
  • Exposição de trabalhos sobre cidadania, a fim de estimular os alunos a formularem perguntas pertinentes ao tema.

Arte

Esse componente curricular contribui para a interação crítica dos alunos com a complexidade do mundo e favorece o respeito às diferenças e o diálogo intercultural, os quais são importantes para o exercício da cidadania. A Arte propicia a troca entre culturas e favorece o reconhecimento de semelhanças e diferenças entre elas.

A aprendizagem de Arte precisa alcançar a experiência e a vivência artísticas como prática social, permitindo aos alunos que sejam protagonistas e criadores na prática da cidadania.

Entre as atividades proposta para esse fim, estão:

  • Criação artística que permita a expressão de cada aluno;
  • Exposição das criações, a fim de estimular o respeito à singularidade criativa;
  • Saraus;
  • Espetáculos;
  • Performances;
  • Concertos;
  • Recitais;
  • Intervenções e outras apresentações/eventos artísticos e culturais que enalteçam as diferenças e o entendimento destas.

Práticas de cidadania na escola

Práticas de cidadania na escola – Educação Física

Entre as oito dimensões de conhecimento desse componente curricular, está a construção de valores, que engloba o conhecimento das práticas corporais e a aprendizagem de valores e normas voltadas ao exercício da cidadania em prol de uma sociedade democrática.

Entre as atividades propostas, estão:

  • Permitir a compreensão da origem da cultura corporal de movimento e seus vínculos com a organização da vida coletiva e individual;
  • Identificar a multiplicidade de padrões de desempenho, saúde, beleza e estética corporal, a fim de analisar criticamente os modelos disseminados na mídia e discutir posturas consumistas e preconceituosas;
  • Refletir criticamente sobre as relações entre a realização das práticas corporais e os processos de saúde/doença, inclusive no contexto das atividades laborais;
  • Interpretar e recriar os valores, os sentidos e os significados atribuídos às diferentes práticas corporais, bem como aos sujeitos que delas participam;
  • Identificar as formas de produção dos preconceitos, compreender seus efeitos e combater posicionamentos discriminatórios em relação às práticas corporais e aos seus participantes;
  • Reconhecer as práticas corporais como elementos constitutivos da identidade cultural dos povos e grupos;
  • Reconhecer o acesso às práticas corporais como direito do cidadão, propondo e produzindo alternativas para sua realização no contexto comunitário.

Língua Inglesa

Esse componente curricular permite aos alunos novas formas de engajamento e participação em um mundo social cada vez mais globalizado e plural. Isso possibilita o acesso aos saberes linguísticos necessários para o exercício da cidadania ativa e amplia as possibilidades de interação e mobilidade, abrindo novos percursos de construção de conhecimento e de continuidade nos estudos.

Para trabalhar as práticas de cidadania na escola tendo como base a Língua Inglesa, é possível utilizar as seguintes atividades:

  • Apresentar a função social e política da língua;
  • Explorar a dimensão intercultural;
  • Comunicar-se em língua inglesa para a compreensão dos valores e interesses de outras culturas e para o exercício do protagonismo social;
  • Elaborar trabalhos em língua inglesa para identificar similaridades e diferenças em relação à língua materna, articulando-as em relação a aspectos sociais, culturais e de identidade;
  • Conhecer diferentes patrimônios culturais – materiais e imateriais – difundidos na língua inglesa, com vistas ao exercício da fruição e da ampliação de perspectivas no contato com diferentes manifestações artístico-culturais.

Ciências da Natureza

Na área de Ciências da Natureza, as práticas de cidadania estão relacionadas a utilizar a ciência para atuar na sociedade, o que possibilita aos alunos um novo olhar sobre o mundo para escolhas e intervenções conscientes pautadas no bem comum.

Algumas atividades para trabalhar a cidadania nessa área são:

  • Observar o mundo a sua volta e fazer perguntas;
  • Analisar demandas, delinear problemas e planejar investigações;
  • Propor hipóteses sobre um tema relevante na sociedade;
  • Planejar e realizar atividades de campo (experimentos, observações, leituras, visitas a ambientes virtuais etc.);
  • Desenvolver e utilizar ferramentas, inclusive digitais, para coleta, análise e representação de dados;
  • Avaliar informação (validade, coerência e adequação ao problema formulado);
  • Elaborar explicações e/ou modelos;
  • Associar explicações e/ou modelos à evolução histórica dos conhecimentos científicos envolvidos;
  • Desenvolver soluções para problemas cotidianos usando diferentes ferramentas.

Práticas de cidadania na escola – Como incentivar seus alunosPráticas de cidadania na escola – Ciências Humanas

Geografia

O componente curricular de Geografia se baseia no conhecimento espacial para representar e interpretar o mundo em permanente transformação e relacionar componentes da sociedade e da natureza.

Desse modo, os alunos precisam se apropriar de conceitos que permitam identificar os fatos que podem ser observados e localizados no tempo e no espaço para o exercício da cidadania.

As atividades para trabalhar as práticas da cidadania tendo como foco a Geografia podem ser abordadas com base nos seguintes conceitos:

  • Território;
  • Mapas;
  • Lugar;
  • Ambientes;
  • Paisagem;
  • Natureza;
  • Região;
  • O sujeito e seu lugar no mundo;
  • Noções de pertencimento e identidade;
  • Formas de representação e pensamento espacial.

Outras atividades relacionadas ao exercício da cidadania e à aplicação de conhecimentos da Geografia diante de situações e problemas da vida cotidiana incluem:

  • Estabelecer regras de convivência na escola e na comunidade;
  • Discutir propostas de ampliação de espaços públicos;
  • Propor ações de intervenção na realidade visando à melhoria da coletividade e do bem comum.

História

Em História, o objetivo é estimular a autonomia de pensamento e a capacidade de reconhecer que os indivíduos agem de acordo com a época e o lugar nos quais vivem, preservando e transformando seus hábitos e condutas. A percepção de que existe uma grande diversidade de sujeitos e histórias estimula o pensamento crítico, a autonomia e a formação para a cidadania.

Entre as sugestões de atividades para trabalhar as práticas da cidadania em sala de aula, estão:

  • Descrever e distinguir os papéis e as responsabilidades relacionados à família, à escola e à comunidade;
  • Identificar as diferenças entre os variados ambientes em que vive (doméstico, escolar e comunitário), reconhecendo as especificidades dos hábitos e das regras que os regem;
  • Conhecer as histórias da família e da escola e identificar o papel desempenhado por diferentes sujeitos em espaços variados;
  • Reconhecer espaços de sociabilidade e identificar os motivos que aproximam e separam as pessoas em diferentes grupos sociais ou de parentesco;
  • Identificar e descrever práticas e papéis sociais que as pessoas exercem em diferentes comunidades;
  • Identificar diferentes formas de trabalho existentes na comunidade em que vive, seus significados, suas especificidades e sua importância;
  • Analisar as transformações políticas, econômicas, sociais e culturais de 1989 aos dias atuais, identificando questões prioritárias para a promoção da cidadania e dos valores democráticos.

Ensino Religioso

Entre os objetivos desse componente curricular está a contribuição para que os alunos construam seus sentidos pessoais de vida com base em valores, princípios éticos e na cidadania.

Algumas abordagens para guiar as atividades na escola sobre cidadania e religião são:

  • Problematizar representações sociais preconceituosas sobre o outro, com o intuito de combater a intolerância, a discriminação e a exclusão;
  • Conhecer os aspectos estruturantes das diferentes tradições/movimentos religiosos e filosofias de vida;
  • Compreender, valorizar e respeitar as manifestações religiosas e filosofias de vida;
  • Reconhecer e cuidar de si, do outro, da coletividade e da natureza, enquanto expressão de valor da vida;
  • Conviver com a diversidade de crenças, pensamentos, convicções e modos de ser e viver;
  • Analisar as relações entre as tradições religiosas e os campos da cultura, da política, da economia, da saúde, da ciência, da tecnologia e do meio ambiente.

Outras maneiras de trabalhar as práticas da cidadania na escola são:

  • Desenvolver as competências socioemocionais, as quais estimulam as habilidades necessárias para construir relações sociais saudáveis;
  • Focar no Projeto de Vida, pois permite o autoconhecimento e o conhecimento dos outros ao seu redor;
  • Estimular as habilidades do futuro, que pretendem formar profissionais capacitados que atuem em prol da evolução da sociedade e do bem comum.

________________________________________________________________

O SAE Digital acredita na importância das práticas da cidadania na escola e oferece produtos e serviços que contribuem com essa tarefa.

Saiba como o SAE pode ajudar a sua escola: fale com um de nossos assessores e ajude a transformar o mundo por meio da cidadania!

Mantenha-se informado sobre as novidades na educação, acompanhando nosso blog e os conteúdos exclusivos em nossas redes sociais. Confira!

Práticas de cidadania na escola


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Acessos