Blog

Competências socioemocionais: o que são e como trabalhar em sala de aula

  • Fernanda Andreazzi
  • 8 meses atrás
  • Atualizada em 15/03/2019
  • 6 min. de leitura
  •  
  • 5.834 visualizações

Hoje, mais do que nunca, o termo “competências socioemocionais” está presente na mídia, nos grandes veículos de comunicação, nas salas de aula e nas formações pedagógicas do Brasil e do mundo. Em todo o meio educacional, muito falamos e ouvimos falar sobre essas competências que são tão importantes para o desenvolvimento integral do indivíduo e para uma boa convivência em sociedade.

Você já sabe o que são as competências socioemocionais? Neste texto vamos te contar o porquê e – o mais importante – COMO ensinar as competências e habilidades socioemocionais! Ficou curioso? Vamos lá!

O que são as competências socioemocionais?

Competências socioemocionais visam o desenvolvimento das dimensões comportamental e relacional dos indivíduos.

Existem muitas formas de descrever o que são as competências socioemocionais. Para facilitar o entendimento, vamos traçar um paralelo entre as competências práticas, cognitivas e socioemocionais. As práticas e cognitivas são aquelas que dizem respeito ao desenvolvimento de habilidades para a compreensão de conteúdos, conceitos e processos dentro dos diferentes objetos de conhecimento. As competências socioemocionais são aquelas que visam o desenvolvimento das dimensões comportamental (atitudinal) e relacional dos indivíduos.

Essa é apenas uma definição possível, mas as competências socioemocionais podem se manifestar de diferentes formas na prática pedagógica e nos referenciais teóricos que a sustentam. Vamos ver alguns exemplos?

Tipos de inteligência
De acordo com o psicólogo americano Howard Gardner e a sua teoria das inteligências múltiplas, a inteligência humana possui nove dimensões: naturalista (1), musical (2), lógico-matemática (3), existencial (4), interpessoal (5), corporal-sinestésica (6), linguística (7), espacial (8) e intrapessoal (9). O profissional da educação que desenvolver um trabalho pedagógico com base nessa teoria poderá ter a percepção de que as competências socioemocionais se relacionam de maneira mais próxima às dimensões inter e intrapessoal.
Quatro pilares da educação para o século XXI
A UNESCO determinou quatro pilares que fundamentam a educação para o século XXI: aprender a conhecer (1), aprender a fazer (2), aprender a viver juntos (3) e aprender a ser (4). Pode-se dizer que as competências socioemocionais estão diretamente ligadas aos pilares aprender a ser e aprender a viver juntos.
Os Big five na psicologia
Na área da psicologia existe uma teoria que tem aparecido cada vez mais nos referenciais teóricos da área educacional. Esta teoria é conhecida como Big five, que analisa a personalidade humana com base em cinco traços: imaginação (ou abertura a novas experiências) (1), consciência (2), extroversão (3), amabilidade (4) e estabilidade (ou inteligência emocional) (5). Essa teoria oferece uma noção dos traços que poderão ser desenvolvidos a partir das competências socioemocionais.

Por que ensinar competências socioemocionais?

Historicamente, a escola sempre valorizou o desenvolvimento cognitivo como sendo o objetivo principal do processo de ensino e aprendizagem. Ou seja, a escola tradicional sempre priorizou o conhecimento acadêmico, a inteligência lógico-matemática, linguística ou científica em detrimento das competências socioemocionais.

Entretanto, o cenário educacional está em transformação. Hoje, percebemos com maior clareza que as competências e habilidades socioemocionais são essenciais em qualquer aspecto da vida humana, inclusive para o desenvolvimento de competências com viés acadêmico, cognitivo e científico.

Sabemos, por exemplo, que um aluno estressado ou ansioso pode ter o desempenho prejudicado em uma avaliação, mesmo tendo todo o conhecimento teórico para realizar aquele teste. Ou que o bullying pode ser combatido a partir de um trabalho de educação emocional e da criação de espaços de diálogo, conforme aprendemos a partir de inúmeros experimentos bem-sucedidos ao redor do mundo.

O mercado de trabalho também começa a demandar profissionais com competências socioemocionais bem desenvolvidas. Não é raro encontrarmos nos anúncios de vagas os termos “empatia”, “autonomia”, “resiliência” e “capacidade de trabalhar em equipe” como atributos desejáveis.

E, por fim, da mesma forma que o cenário educacional está em transformação, as nossas diretrizes educacionais também estão passando por grandes mudanças – como é o caso da BNCC.

Competências socioemocionais: o que são e como trabalhar em sala de aula

Competências socioemocionais e a BNCC

A Base Nacional Comum Curricular está trazendo diversas mudanças significativas para a educação brasileira. Uma das mais importantes talvez seja a valorização das competências e das habilidades socioemocionais, que ganham mais espaço e visibilidade em um documento normativo oficial. As competências socioemocionais aparecem ao longo de toda a BNCC – das competências gerais às competências e habilidades específicas. Entretanto, evidenciamos aqui algumas de suas “aparições” no texto das 10 competências gerais da Educação Básica. Confira!

Competências Socioemocionais na BNCC - 2

Competências Socioemocionais na BNCC - 6

Competências Socioemocionais na BNCC - 8, 9, 10

As competências socioemocionais na prática

Agora que você já entendeu a importância das competências socioemocionais, talvez esteja se perguntando: É possível ensinar competências socioemocionais em sala de aula?

É possível ensinar competências socioemocionais?

As competências socioemocionais podem ser aprendidas, colocadas em prática e, é claro, ser ensinadas. Se o seu desenvolvimento contribui tanto para o desenvolvimento integral da criança e do adolescente quanto para a melhora do seu desempenho acadêmico, por que não inserir essas competências no dia a dia da prática pedagógica?

Mas de quem é a responsabilidade de ensinar “empatia” para os estudantes, por exemplo? Do professor de Ciências? De História? A resposta certa é: de todos eles. É por isso que “empatia” não é necessariamente um componente curricular, como Ciências ou História. Por que ela é contemplada em uma das competências gerais, que permeiam todos os componentes, em todos os segmentos da Educação Básica – e também extrapolam o espaço da sala de aula.

Como trabalhar as competências socioemocionais em sala de aula?

Ótimo! Vamos levar as competências socioemocionais para a sala de aula!

Antes de qualquer trabalho pedagógico ser realizado, ele precisa estar alinhado ao Projeto Político Pedagógico da escola para conferir significado à prática. Ao revisar o PPP, os professores e a equipe pedagógica de sua escola podem refletir a respeito do seguinte questionamento: “Como é o aluno que desejamos formar?”. Este é o momento de inserir as competências socioemocionais nas diretrizes da escola.

Veja como montar o PPP de sua escola.

Como vimos no tópico anterior, as competências socioemocionais devem ser trabalhadas transversalmente. Aqui, a escola pode se aproveitar da horizontalidade das habilidades da BNCC para desenvolver um trabalho multidisciplinar, que envolva professores de todos os segmentos e componentes curriculares no desenvolvimento das competências e habilidades socioemocionais.

Vamos utilizar o exemplo da “empatia”, que já apresentamos anteriormente: Para ensinar empatia, os professores dos componentes de Ciências e de História podem pensar em um projeto interdisciplinar que envolva o gênero debate. A partir deste projeto, os alunos deverão exercitar a escuta ativa, a cooperação, o respeito ao outro, a resolução de conflitos – entre muitas outras competências necessárias à compreensão do conceito e ao desenvolvimento de empatia.

Além do debate, as competências e habilidades socioemocionais podem ser trabalhadas de inúmeras formas: a partir do jogo e da ludicidade, da abertura de espaços moderados de fala e da troca de experiências, de propostas de atividades que envolvam a autoanálise e a representação (como o desenho, a música, a escrita etc.).

E então? Como a sua escola trabalha as competências socioemocionais na prática? Conte pra gente nos comentários!

Tags

Fernanda Andreazzi

Ver todos os artigos

Uma resposta para “Competências socioemocionais: o que são e como trabalhar em sala de aula”

  1. Thatyana disse:

    Adorei o texto. Realmente acredito que i trabalho comece por aí mesmo. A parte emocional deverá ser nosso foco enquanto educadores. Obrigada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *