Como apoiar a criança no processo de alfabetização?

Ainda na Educação Infantil as escolas iniciam o processo de alfabetização das crianças. Guiados pelos professores, os alunos conhecem as letras, entendem e montam palavras até, finalmente, aprenderem a ler e a escrever. Por mais que seja um processo realizado principalmente na escola, o ambiente em que a criança vive também é de grande apoio para seu aprendizado.

Especialmente em tempos de educação à distância ou ensino híbrido, os pais podem ajudar na alfabetização e letramento de seus filhos. As formas de apoiar o desenvolvimento dos pequenos, além do ensino formal, são diversas. Hábitos cultivados pela família desde o nascimento do bebê valem muito. Há também brincadeiras e atividades que, além de proporcionarem momentos de diversão, também ajudam na alfabetização.

Veja algumas dicas de atividades lúdicas na Educação Infantil

Alfabetização e letramento

A alfabetização consiste no aprendizado do alfabeto como código de comunicação. Conhecer e entender as letras para construir palavras e, então, aprender a ler e escrever. O processo de alfabetização acontece dentro e fora da escola desde quando a criança é muito pequena.

Formalmente, as letras e palavras começam a ser apresentadas na escola para as crianças a partir do fim da Educação Infantil, iniciando o processo mais ativo de alfabetização e letramento.

Os processos começam com a formação de sílabas, depois de palavras e pequenas frases. Até que o aluno consiga não apenas ler e escrever, mas compreender o que está sendo lido e escrito, interpretar e produzir conhecimento, que é o letramento.

O letramento trata da função social da leitura e da escrita. Ou seja, acontece quando o indivíduo domina a linguagem no seu cotidiano, na forma escrita, em diversos contextos. O estudante letrado, por exemplo, é capaz de interpretar textos, se informar, interagir e seguir instruções escritas, entre outras situações sociais.

Atividades que ajudam no processo de alfabetização

A criança não começa a ser alfabetizada apenas quando tem aulas específicas sobre o assunto na escola. O meio em que ela vive e as atividades do dia-a-dia em casa, na escola e na convivência social em geral, iniciam o processo de alfabetização. 

Isso acontece pois a alfabetização e o letramento são despertados pelo contato das crianças com a linguagem. Sendo assim, os pais têm papel importante em apoiar esse processo antes e enquanto ele acontece na escola. 

  • Contar histórias e ler para as crianças

Contar histórias é um hábito muito benéfico para as crianças, desde seus primeiros meses de vida. As vantagens no desenvolvimento cognitivo dos pequenos são diversas. A contação de histórias desperta a curiosidade, estimula o pensamento e imaginação e ajuda a construir um vínculo emocional com a criança.

As histórias fazem com que a criança assimile múltiplos tipos de linguagem e se envolva pelo gênero narrativo. Quando as histórias são contadas a partir de livros, a criança já um pouco maior, pode querer saber mais e até mesmo acompanhar com as imagens, se habituando também ao formato e à leitura. Assim, o hábito de ler livros para os pequenos também cria neles também o interesse por ler e, posteriormente, pela escrita.

Saiba mais sobre a importância da Literatura na Educação Infantil

  • Deixar livros à disposição

Além de ler para os filhos em momentos específicos, é importante deixar os livros à disposição deles. Mesmo que ainda não estejam alfabetizados, a intimidade com os livros é importante. 

Folheando os livros, as crianças podem acompanhar a história pelas figuras e se familiarizar com as letras e palavras, de acordo com o que já conhecem da narrativa. Conforme aprendem a identificar novas letras e palavras no processo de alfabetização, o contato com o livro se torna mais rico.

Deixar o livro ao alcance e disposição dos filhos, em casa, a qualquer momento — como em uma estante acessível — também é importante para incentivar a leitura. Conforme eles crescem, os livros podem ser substituídos para acompanhar o desenvolvimento das crianças, com títulos mais recomendados para a faixa etária específica.

Os professores também podem contribuir nesse processo, ajudando a desenvolver o hábito da leitura na escola.

  • Pedir para a criança contar histórias

Todo o tipo de conversa com as crianças também é útil para que ela desenvolva a linguagem — que está diretamente ligada à alfabetização e letramento. 

O incentivo às crianças a contar histórias pode acontecer em diferentes momentos. Um dos casos é com histórias reais, ao pedir para seu filho contar como foi o dia na escola, por exemplo. Isso ajuda-o a criar uma narrativa e transformar os fatos vividos em palavras, essencial para o letramento. Outro caso é pedir para ele contar histórias fictícias, inventando, o que trabalha mais a criatividade e imaginação.

  • Brincadeiras com alfabeto

Um dos primeiros passos para a alfabetização é a familiaridade com todas as letras do alfabeto. Para isso, uma brincadeira interessante para a primeira infância é a que envolve as letras do alfabeto. Os pais podem fazer as letras em casa, seja imprimindo em um papel e encapando ou recortando em um EVA. Há também a opção de adquirir as letras prontas.

Com esses brinquedos prontos, é possível realizar diversas atividades com as crianças. Uma delas é pedir para formarem as sílabas e dizer o som que formam. Outra opção é, a partir de fotos ou ilustrações, pedir para a criança montar a palavra referente ao que foi mostrado, letra por letra.

Uma variação desta atividade é feita com sílabas. A diferença é simples: em vez de letras, são as sílabas que devem ser reproduzidas em forma física. E a brincadeira, nesse caso, é unir as sílabas para formar palavras.

Mais uma forma de acostumar as crianças com as letras é apresentar músicas que recitam o alfabeto, muitas vezes relacionando palavras a cada letra.

A música, aliás, pode também ajudar durante os estudos.

  • Leitura de listas

Faça uma lista de palavras dentro de um mesmo tema. Por exemplo: frutas, animais, peças de roupa ou até mesmo nomes de pessoas da família. Com a lista em mãos, os pais podem ajudar a criança a ler.

A lista com palavras definidas em um mesmo assunto é útil nesse momento, pois é possível levantar hipóteses com a criança sobre o que está escrito. Muitas vezes, ela não consegue identificar a palavra inteira, mas sim a primeira sílaba. Então, o adulto pode perguntar: “Qual animal começa com Ga?”, ajudando no processo de alfabetização.

Outra atividade relacionada é pedir para a criança escrever palavras dentro de um tema pré-determinado. Um exemplo clássico é quando pede-se para escrever o nome das pessoas da família.

  • Aproveitar situações fora de casa

Uma clássica maneira de apoiar o processo de alfabetização da criança é aproveitando situações que favoreçam-na a ler. Na rua, é possível explorar placas de trânsito ou de publicidade, fachadas e até mesmo uma revista em uma sala de espera. 

Em forma de brincadeira, vale apontar e perguntar para o filho o que está escrito. Se for um lugar de visita ou passagem recorrente, ele vai aprendendo a identificar.

  • Incentivar a escrever histórias

Quando a criança já souber escrever palavras, estimule-a a escrever histórias para incentivar o letramento. Escrevendo, a criança vai se acostumar cada vez mais com as palavras e a construção de um texto. Isso vai ajudá-la a compreender e interpretar textos mais facilmente, tornando-se totalmente letrada de forma mais rápida.

Para atender as demandas da primeira infância, o SAE Digital lançou a série “As brincadeiras em casa me ensinam”, com dicas de atividades lúdicas para fazer com as crianças em casa. Saiba mais no vídeo abaixo.

Cuidados com a alfabetização das crianças em casa

Ao lidar com práticas de educação das crianças em casa, é necessário tomar alguns cuidados. Principalmente em tempos de ensino à distância, é importante tê-los em mente não só para evitar frustrações de pais e filhos, mas também para evitar uma sobrecarga de informação nas crianças. 

Ministrar aos pequenos apenas tarefas educativas não é algo benéfico, especialmente na primeira infância. A diversão também é muito importante para o desenvolvimento nessa faixa etária. 

Diante disso, veja quais são os principais pontos que os pais precisam ter atenção:

  • Casa não é escola

Primeiramente, é importante lembrar que o ambiente de casa não é o mesmo do escolar. Principalmente ao se tratar de crianças pequenas, é impossível exigir que elas se comportem da mesma forma de que fariam em sala de aula. Por isso, a paciência dos pais com a execução das tarefas e a atenção dada a explicações precisa ser maior

Como o ambiente é diferente, o tempo que deve ser dedicado a essas tarefas também deve ser menor. É muito mais complicado manter 4 horas de aulas quando essas são online e as crianças estão em casa. Então, é até mais indicado que o tempo de aulas seja menor nesse período atípico.

Por fim, como a casa não é escola, os pais também não são como professores. Não é necessário se cobrar tanto quanto ao ensino e resultados. A ideia é apenas apoiar o processo que acontece principalmente na escola e guiado pelo professor.

  • Não esqueça da diversão e do tempo em família

Quando a criança está em casa, é preciso dedicar tempo para a diversão em família. Pode parecer simples, mas é muitas vezes esquecido quando estão todos em casa, o tempo todo. 

Não esqueça de programar o lazer para pais e crianças e aproveitar o período para ficarem realmente juntos, em que os pais não estejam trabalhando, nem as crianças estudando.

  • Respeite a vontade da criança

A vontade da criança pequena precisa também ser levada em consideração e respeitada na hora da atividades educativas. Seja na hora de acompanhar aulas online ou em momentos mais descontraídos, como nas brincadeiras com alfabeto, por exemplo.

Por mais que seja lúdica, a atividade exige da criança, pois ela está aprendendo. Muitas vezes, ela apenas precisa de um descanso, e vai demonstrar isso ao não querer mais seguir com a brincadeira. Os adultos precisam respeitar esse momento e substituir a brincadeira. 

Peça ajuda da escola sobre o processo de alfabetização

Essa dica é especialmente útil para tempos de ensino à distância. A primeira infância é uma faixa etária muito delicada para acompanhar aulas on-line e o ensino remoto pode não trazer os mesmos resultados. 

Para além das atividades extras desenvolvidas em família, se a criança não estiver conseguindo acompanhar as aulas ou tarefas escolares, vale pedir ajuda da escola. Lembre-se que eles são os especialistas e podem ajudar com um plano mais personalizado ou atenção extra ao aluno caso ele precise.

Os materiais do SAE Digital podem ajudar pais, professores e responsáveis pela escola a melhorar o ensino para alunos da Educação Infantil dentro e fora de sala de aula. Confira:

Feliz Dia do Professor! Estimada, professora. Caro, professor!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Acessos