Habilidades de ler e escrever: tudo sobre o seu desenvolvimento


O desenvolvimento das habilidades de ler e escrever é a base para a alfabetização, que permite o aprendizado do alfabeto como código de comunicação, essencial para a vida em sociedade.

As letras e o alfabeto começam a ser apresentados formalmente para as crianças no final da Educação Infantil, para iniciar o processo de formação de sílabas, palavras e pequenas frases.

Em seguida, conseguem conhecer as palavras escritas e a ortografia, o que consolida a aquisição do sistema convencional da linguagem escrita e a habilidade de escrever.

Isso ocorre pela aprendizagem da codificação e da decodificação dos elementos que compõem a escrita, por meio do reconhecimento e da memorização das letras, das sílabas, das palavras e da formação de frases.

Após esse processo, o aluno está apto a desenvolver as habilidades de ler e escrever de acordo com o contexto das práticas sociais que envolvem a leitura e a escrita, as quais se pautam na linguagem enquanto produto cultural e social, que configura o letramento.

No post de hoje, vamos abordar de que modo ocorre o processo de desenvolvimento das habilidades de ler e escrever. Confira!

Quais são as habilidades necessárias para desenvolver a leitura e a escrita?

O desenvolvimento das habilidades de ler e escrever é um processo que precisa ser organizado, pois é a etapa básica das formações escolar e social das crianças e o que possibilita as aprendizagens posteriores.

Podemos considerar estes quatro eixos iniciais da alfabetização para organizar esse processo:

  1. É resultado de um processo de aquisição de habilidades específicas;
  2. Ela é aplicada, praticada e situada de acordo com o contexto;
  3. É composta de um processo de aprendizagem e aquisição de habilidades básicas que servirão de base para o aprendizado geral. Esse processo tem início, meio e fim, ou seja, primeiro é preciso aprender a ler e depois ler para escrever;
  4. Abrange o domínio do texto – compreensão.

Para conseguir ler e escrever, as crianças precisam de habilidades anteriores, como memória visual, capacidade de atenção, reconhecimento de objetos/imagens e motricidade fina.

Essas habilidades são desempenhadas pelas funções cognitivas do cérebro descritas na sequência.

  • Atenção: refere-se à seleção e à manutenção de um foco mediante um estímulo ou uma informação.
  • Memória: é a capacidade de armazenar informações e lembrar-se delas para utilizá-las no presente.
  • Linguagem: habilidade de uso de palavras, símbolos, gestos e sons para se comunicar.
  • Percepção: refere-se à competência de reconhecer, organizar e dar significado a um estímulo proveniente do ambiente por meio dos órgãos sensoriais.
  • Funções executivas: são atividades neuropsicológicas responsáveis pelo planejamento e pela execução de tarefas, que envolvem habilidades como raciocínio lógico, estratégias, tomada de decisões e resolução de problemas.

Já a motricidade fina refere-se aos movimentos de braços, mãos e dedos para manipular o lápis ou a caneta para escrever, o que depende da consciência corporal, tonicidade dos músculos, percepção de movimento etc.

Devem ser consideradas também as etapas necessárias para a aquisição de conhecimento descritas na sequência.

  • Sensação: é a primeira reação do cérebro ao receber uma nova informação pelos sentidos, que depois é captada pela consciência.
  • Percepção: formação de imagens mentais associadas à sensação inicial.
  • Simbolização: associação da sensação à imagem mental a fim de formar um conceito.
  • Memória: o conceito considerado útil é arquivado para ser lembrado e utilizado novamente.
  • Receptiva: uma informação é recebida, compreendida e reproduzida, mas sem desvendar algo novo.
  • Descoberta: ocorre pela reordenação das informações, que se adaptam na mente e transformam-se em algo novo.
  • Repetitiva: é produzida quando os conteúdos são memorizados e repetidos, mas sem conexão com conhecimentos prévios, ou seja, não são totalmente compreendidos, somente reproduzidos.
  • Significativa: é a relação entre os conhecimentos prévios e os novos que forma um significado coerente à estrutura cognitiva.

Por meio dessas etapas, para concretizar o desenvolvimento das habilidades de ler e escrever, especificamente, é necessário que a criança adquira:

  • Fala: para conseguir ler e escrever, primeiro a criança precisa aprender a falar, pois assim pode descrever eventos, objetos e ideias e fazer perguntas sobre o que vê, ouve e sente.
  • Consciência fonológica: ouvir e associar os sons às letras, articulando os símbolos gráficos e sonoros.
  • Conhecimento das letras: ter contato com o sistema de linguagem escrita, por meio de livros ou de qualquer mídia que apresente palavras escritas, para se adaptar ao alfabeto e fazer associações entre sons e letras que compõem as palavras.
  • Vocabulário: conhecer os nomes de objetos e saber nomear sentimentos e ideias, a fim de desenvolver um repertório de palavras.
  • Compreensão das letras: identificar o nome, o som e o significado de cada letra com a finalidade de empregá-las corretamente.

Como proporcionar o desenvolvimento das habilidades de ler e escrever?

Na Educação Infantil, a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) sugere as seguintes atividades para estimular o desenvolvimento das habilidades de ler e escrever (BNCC, 2018, p. 49-55):

  • Ouvir a leitura de poemas e a apresentação de músicas.
  • Ouvir histórias lidas ou contadas, observando ilustrações e os movimentos de leitura do adulto-leitor.
  • Ouvir a leitura de histórias e outros textos, diferenciando escrita de ilustrações, e acompanhando, com orientação do adulto-leitor, a direção da leitura (de cima para baixo, da esquerda para a direita).
  • Levantar hipóteses sobre gêneros textuais veiculados em portadores conhecidos, recorrendo a estratégias de observação gráfica e/ou de leitura.
  • Selecionar livros e textos de gêneros conhecidos para a leitura de um adulto e/ou para sua própria leitura (partindo de seu repertório sobre esses textos, como a recuperação pela memória, pela leitura das ilustrações etc.).
  • Conhecer diferentes gêneros e portadores textuais, demonstrando compreensão da função social da escrita e reconhecendo a leitura como fonte de prazer e informação.

Com o objetivo de estimular o desenvolvimento das habilidades de ler e escrever na Educação Infantil, a BNCC destaca como fundamental explorar o falar e o ouvir por meio de situações e exercícios, por exemplo:

  • situações de usos reais de leitura e escrita;
  • apresentação do alfabeto de maneira lúdica;
  • estímulo à consciência fonológica;
  • apresentação constante de todo tipo de material escrito (livro, revista, panfleto etc.);
  • incentivo a reflexões sobre o objeto de estudo.

Para o Ensino Fundamental, a BNCC define competências relacionadas ao desenvolvimento das habilidades de ler e escrever articuladas ao processo de alfabetização:

Nos dois primeiros anos do Ensino Fundamental, a ação pedagógica deve ter como foco a alfabetização, a fim de garantir amplas oportunidades para que os alunos se apropriem do sistema de escrita alfabética de modo articulado ao desenvolvimento de outras habilidades de leitura e de escrita e ao seu envolvimento em práticas diversificadas de letramentos” (BNCC, 2018, p. 59).

Habilidades de ler e escrever: tudo sobre o seu desenvolvimento

As competências específicas da área de Linguagens para o desenvolvimento das habilidades de ler e escrever são (BNCC, 2018, p. 65):

  1. Compreender as linguagens como construção humana, histórica, social e cultural, de natureza dinâmica, reconhecendo-as e valorizando-as como formas de significação da realidade e expressão de subjetividades e identidades sociais e culturais.
  2. Conhecer e explorar diversas práticas de linguagem (artísticas, corporais e linguísticas) em diferentes campos da atividade humana para continuar aprendendo, ampliar suas possibilidades de participação na vida social e colaborar para a construção de uma sociedade mais justa, democrática e inclusiva.
  3. Utilizar diferentes linguagens – verbal (oral ou visual-motora, como Libras, e escrita), corporal, visual, sonora e digital –, para se expressar e partilhar informações, experiências, ideias e sentimentos em diferentes contextos e produzir sentidos que levem ao diálogo, à resolução de conflitos e à cooperação.
  4. Utilizar diferentes linguagens para defender pontos de vista que respeitem o outro e promovam os direitos humanos, a consciência socioambiental e o consumo responsável em âmbito local, regional e global, atuando criticamente frente a questões do mundo contemporâneo.
  5. Desenvolver o senso estético para reconhecer, fruir e respeitar as diversas manifestações artísticas e culturais, das locais às mundiais, inclusive aquelas pertencentes ao patrimônio cultural da humanidade, bem como participar de práticas diversificadas, individuais e coletivas, da produção artístico-cultural, com respeito à diversidade de saberes, identidades e culturas.
  6. Compreender e utilizar tecnologias digitais de informação e comunicação de forma crítica, significativa, reflexiva e ética nas diversas práticas sociais (incluindo as escolares), para se comunicar por meio das diferentes linguagens e mídias, produzir conhecimentos, resolver problemas e desenvolver projetos autorais e coletivos.

A ação pedagógica nessa etapa deve estar focada na apropriação do sistema de escrita alfabético e no desenvolvimento das habilidades de ler e escrever. As experiências necessárias para essa tarefa são divididas em quatro eixos:

  1. Oralidade: envolve o conhecimento da língua oral e de estratégias de fala e escuta;
  2. Análise linguística/semiótica: sistematiza, de fato, a alfabetização e seu período de 5 anos (2 para a inserção e 3 para o desenvolvimento);
  3. Leitura/escuta: o letramento ocorre por meio de uma progressiva adequação às estratégias de leitura em variados tipos de texto;
  4. Produção de texto: incorpora progressivamente estratégias de escrita de diferentes gêneros textuais.

As atividades para estimular o desenvolvimento das habilidades de ler e escrever são:

  • diferenciar grafismos/desenhos (símbolos) de grafemas/letras (signos);
  • desenvolver a capacidade de reconhecimento global de palavras, o que possibilita a fluência na leitura;
  • construir o conhecimento do alfabeto;
  • identificar os sons que devem representar a escrita;
  • construir a relação fonema-grafema – a percepção de que as letras representam certos sons da fala em contextos precisos;
  • perceber a sílaba em sua variedade como contexto fonológico da representação;
  • compreender o modo de relação entre fonemas e grafemas em uma língua específica.

___________________________________________________________________

Conheça as soluções do SAE Digital para a sua escola aprimorar o desenvolvimento das habilidades de ler e escrever dos alunos! Fale com um de nossos assessores e saiba mais!

Abordamos conteúdos relevantes aqui no blog, os quais envolvem a educação e a sociedade. Acompanhe! Assine nossa newsletter para não perder nenhum post. Visite também nossas redes sociais para ter acesso a conteúdos exclusivos!

Catálogo 2023


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Acessos