formação pedagógica

Sabemos que a escola tem papel fundamental na formação de crianças, jovens e adolescentes. Mas para que ela consiga exercer essa influência de forma efetiva, é importante que os professores e equipes estejam preparados para essa importante missão. Dessa forma, a Formação Pedagógica é essencial para que as escolas possam garantir um ensino de qualidade para seus alunos, compatível com as competências que serão exigidas desses jovens futuramente no mercado de trabalho.

Confira no post de hoje como investir na formação da sua equipe escolar!

O que é Formação Pedagógica?

A formação pedagógica pode ser entendida como uma preparação ou formação continuada para bacharéis e tecnólogos que querem lecionar para o Ensino Fundamental, Ensino Médio, Educação de Jovens e Adultos (EJA) ou para cursos de educação profissional ao nível médio.

Para isso, esses profissionais precisam, primeiramente, ter uma formação inicial em alguma área do conhecimento, como História, Química, Física, Biologia, entre outras.

É na formação pedagógica que esse profissional aprenderá o que é ser professor, obtendo os conhecimentos e as habilidades (pessoais e profissionais) necessárias para ministrar aulas e trabalhar com as metodologias educacionais. A formação pedagógica pode se dar através do:

Esse ensino continuado é fundamental para que o profissional aprenda tudo o que envolve o ambiente escolar, como as metodologias de ensino, o currículo escolar, as rotinas pedagógicas, os sistemas de avaliação escolar, o desenvolvimento e coordenação de projetos educacionais e muito mais.

O curso de Formação Pedagógica, também conhecido como complementação pedagógica, equivale à formação em um curso de Licenciatura. Dessa forma, após a conclusão, o aluno está apto para atuar como docente em escolas públicas e particulares.

A Formação Superior para a Docência na Educação Básica em Programas Especiais é regulada pelo MEC, abrangendo diversas Resoluções e Pareceres a fim de atualizar constantemente as diretrizes e tornar o ensino cada vez mais inclusivo.

Qual seu objetivo?

O objetivo da formação pedagógica é preparar o futuro professor para dar aulas. Dessa forma, essa modalidade de educação continuada consiste em aproveitar as disciplinas já cursadas na área de atuação do profissional e acrescentar apenas aquelas específicas a respeito da docência e gestão escolar.

Além disso, a formação pedagógica ajuda a garantir que as escolas contem com profissionais capacitados para lecionar suas disciplinas, proporcionando um ensino mais completo e eficaz para os alunos.

Por que ela é tão importante?

Segundo as pesquisas mais recentes do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), há cerca de 2,2 milhões de professores (as) atuando na educação básica e 323.376, no ensino superior. Esses dados foram levantados no Censo Escolar 2021 e no Censo da Educação Superior 2020.

Quanto à formação pedagógica dos profissionais, o Censo da Educação Superior 2020 mostrou que 35,2% dos 323.376 professores possuem nível de mestrado e 48,9% de doutorado, entre escolas da rede pública e privada.

A formação pedagógica é importante, pois os dados do Anuário Brasileiro da Educação Básica do ano de 2021 mostram que, nos Anos Finais do Ensino Fundamental apenas 60,3% das turmas possuíam professores com formação compatível para lecionar em suas disciplinas.

Entre as disciplinas analisadas, somente as de Língua Portuguesa e Educação Física atingiram o número de 70% de professores com qualificação adequada para lecionar sua disciplina. Já no Ensino Médio, 65,3% das turmas contavam com professores qualificados para as disciplinas lecionadas.

O documento também aponta que, no ano de 2020, 86,6% dos professores da Educação Básica apresentavam escolaridade de nível superior, dos quais 43% também fizeram pós-graduação. Isso indica que a escolaridade média dos professores da Educação Básica no Brasil avançou cerca de 18,6%, contudo, ainda está longe do índice ideal.

Dessa forma, fica evidente que a formação pedagógica é fundamental para que os professores estejam preparados para lecionar nas escolas e garantir um ensino eficiente para os alunos.

Copa do Mundo: Como trabalhar o mundial nas escolas para além do futebol

Formação Pedagógica – Perguntas Frequentes

Quando falamos a respeito da formação pedagógica é comum surgirem muitas dúvidas, principalmente pois a área é bem abrangente. Por isso, reunimos a seguir as perguntas mais frequentes sobre o assunto. Quem sabe uma delas não seja também a sua dúvida!

Quem deve fazer formação pedagógica?

A resposta aqui é simples: deve fazer a formação pedagógica quem tem interesse em ser professor(a). O que vai variar aqui é a área em que o (a) profissional deseja atuar, se é em uma modalidade específica, se é no ensino básico ou até mesmo na gestão escolar.

Quem faz formação pedagógica pode dar aula?

Sim, quem faz formação pedagógica pode exercer a função de professor (a) em sala de aula. Vale lembrar que para dar aula para modalidades específicas, seja em uma determinada escola ou em uma universidade, por exemplo, será necessário ter as especializações necessárias, que podem ser obtidas através de uma formação continuada.

Qual a diferença entre licenciatura e formação pedagógica?

Essa é uma pergunta bem comum, pois há bastante dúvida com relação aos termos. A formação pedagógica é destinada aos profissionais que já possuem graduação (bacharel ou tecnólogo) em alguma área do conhecimento e querem se tornar professores dessa determinada área, ou adquirir novas competências e habilidades.

Já a licenciatura é um curso de formação superior, indicado para quem pretende ser professor de determinada área do conhecimento. Aqui, o estudante aprende os conhecimentos da área escolhida e é habilitado para trabalhar em sala de aula, podendo atuar após a sua formação nos anos finais do Ensino fundamental, Médio ou Profissionalizante.

Quanto tempo dura o curso?

Segundo as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior, (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada:

“Art. 14. Os cursos de formação pedagógica para graduados não licenciados, de

caráter emergencial e provisório, ofertados a portadores de diplomas de curso superior formados em cursos relacionados à habilitação pretendida com sólida base de conhecimentos na área estudada, devem ter carga horária mínima variável de 1.000 (mil) a 1.400 (mil e quatrocentas) horas de efetivo trabalho acadêmico, dependendo da equivalência entre o curso de origem e a formação pedagógica pretendida.

 1º A definição da carga horária deve respeitar os seguintes princípios:

 I – quando o curso de formação pedagógica pertencer à mesma área do curso de

origem, a carga horária deverá ter, no mínimo, 1.000 (mil) horas.

II – quando o curso de formação pedagógica pertencer a uma área diferente da

do curso de origem, a carga horária deverá ter, no mínimo, 1.400 (mil e quatrocentas) horas.

III – a carga horária do estágio curricular supervisionado é de 300 (trezentas)

Horas.

IV – deverá haver 500 (quinhentas) horas dedicadas às atividades formativas

referentes ao inciso I deste parágrafo, estruturadas pelos núcleos definidos nos incisos I e II.

do artigo 12 desta Resolução, conforme o projeto de curso da instituição.

V – deverá haver 900 (novecentas) horas dedicadas às atividades formativas

referentes ao inciso II deste parágrafo, estruturadas pelos núcleos definidos nos incisos I e II do artigo 12 desta Resolução, conforme o projeto de curso da instituição.

VI – deverá haver 200 (duzentas) horas de atividades teórico-práticas de

aprofundamento em áreas específicas de interesse dos alunos, conforme núcleo definido no inciso III do artigo 12, consoante o projeto de curso da instituição.

[…]

 

Art. 15. Os cursos de segunda licenciatura terão carga horária mínima variável

de 800 (oitocentas) a 1.200 (mil e duzentas) horas, dependendo da equivalência entre a formação original e a nova licenciatura.

 1º A definição da carga horária deve respeitar os seguintes princípios:

I – quando o curso de segunda licenciatura pertencer à mesma área do curso de

origem, a carga horária deverá ter, no mínimo, 800 (oitocentas) horas.

II – quando o curso de segunda licenciatura pertencer a uma área diferente da

do curso de origem, a carga horária deverá ter, no mínimo, 1.200 (mil e duzentas) horas.

III – a carga horária do estágio curricular supervisionado é de 300 (trezentas)

horas […].”

Quer saber mais sobre o assunto?

Se você ainda ficou com dúvida a respeito do tema, preparamos uma curadoria com diversos conteúdos sobre o assunto para te ajudar a compreender a importância da Formação Pedagógica dos docentes. Confira a seguir:

É importante lembrar que a formação pedagógica também compreende o ensino continuado dos docentes, que além das disciplinas pedagógicas e de gestão, precisam estar atualizados a respeito das novas tecnologias e sistemas de ensino.

Leia também: Formação de professores: qual o papel das novas tecnologias?

Dessa forma, ainda que os profissionais da sua escola já tenham realizado a formação, é papel da instituição estimular as Boas práticas entre os professores e incentivá-los a se manter atualizados.

Por isso, nós do SAE Digital convidamos você e os profissionais da sua escola a assistirem a nossa Semana de Formação Pedagógica! Trata-se de um evento gratuito para você ficar por dentro das principais Tendências Educacionais, como a Personalização do Ensino, Potencialização da Aprendizagem, Gestão Escolar e muito mais.

Confira abaixo os vídeos da Semana de Formação Pedagógica do SAE Digital!

Catálogo 2023

Acessos