Como fazer um sistema de avaliação eficiente?

Um dos principais desafios da Educação Básica no Brasil é como ter um sistema de avaliação dos alunos eficiente. O tema gera um amplo debate entre coordenadores, pedagogos e professores. Com o início da pandemia, o assunto se tornou ainda mais latente, tanto que já demos algumas dicas de como fazer a avaliação no ensino a distância.

No meio educacional hoje existe um consenso de que o sistema de avaliação não pode ser exclusivamente um instrumento de verificação, seleção e classificação. Ou seja, é inadequado que as provas sejam o único método da escola para realizar a avaliação dos alunos. 

É necessário ir além disso e contar com uma “nota final” baseada em diversos critérios.

É preciso, portanto, sair do lugar comum. Nesse texto, apresentamos os tipos de sistema de avaliação, como implantá-los e algumas estratégias para melhorar o desempenho dos alunos. 

Principais tipos de sistema de avaliação

Antes de mais nada, vale ressaltar que a nota final a cada bimestre é uma exigência do Ministério da Educação (MEC). Ela é a principal diretriz para o professor atestar que o estudante atingiu o mínimo de conhecimento necessário para passar de ano.

Já existem países que dispensaram a repetição de exercícios e a cobrança por notas mínimas como uma ferramenta de avaliação dos alunos. Em Singapura, por exemplo, os trabalhos de casa e as discussões em grupo substituem os exames escritos. 

No momento ainda não há qualquer discussão sobre o assunto no Brasil. Independente disso, algumas instituições de ensino do país já inserem uma visão mais holística em seu sistema de avaliação de desempenho. 

Conheça os tipos de sistema de avaliação da educação básica mais utilizados nos dias atuais:

 

  • Sistema de avaliação somativa ou cumulativa

 

É, geralmente, o sistema aplicado na maioria das escolas do País. As notas e os conceitos são atribuídos a fim de promover o aluno para as próximas etapas.  

Esse sistema de avaliação dos alunos acontece ao fim do bimestre, trimestre, semestre ou do ano. É organizada na forma de uma nota (ou conceito) como métrica de aprendizado. 

Para isso, o professor trabalha junto com o aluno e o acompanha em seu dia a dia. Assim, o estudante recebe orientações contínuas, conforme determina a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB).

 

  • Sistema de avaliação formativa

 

Esse sistema de avaliação possibilita que os alunos tenham conhecimento de seus erros e acertos. O método estimula os estudantes a continuarem os estudos de forma sistemática, buscando sua evolução.

O professor deixa de ser o profissional que transmite as informações para, em uma parceria com crianças e adolescentes, preparar os estudantes a elaborarem seu conhecimento. Ela se distancia muito da avaliação somativa, uma vez que transcende a ideia da classificação, medição e seleção.

A avaliação formativa pode ser feita de diversas maneiras, dividido nos seguintes blocos: 

  • autoavaliação do aluno
  • avaliação do processo de ensino-aprendizagem 
  • avaliação do professor

Esse formato pode ser aplicado de modo diário, ocasional e periódico. Vai depender do objetivo de cada instituição.

 

  • Sistema de avaliação diagnóstica

 

O sistema de avaliação diagnóstica ajuda a identificar as causas de dificuldades específicas dos estudantes na assimilação do conteúdo. Ela pode ser realizada em qualquer momento do ano, mas geralmente norteiam o início de cada ano letivo.

A finalidade dela é propiciar o aperfeiçoamento do ensino-aprendizagem. Ou seja: a partir do diagnóstico, os coordenadores pedagogos e professores elaboram ações para atingir os objetivos esperados ao longo do ano.

No SAE Digital a avaliação diagnóstica é ofertada para o 5º ano e para o 9º ano, visando avaliar a compreensão dos principais conteúdos de Língua Portuguesa e Matemática. É uma ferramenta importante para a autoavaliação de todo o processo educacional da escola.

Aproveite para conferir o webinário Avaliação Diagnóstica: um investimento no aprendizado dos alunos 

 

  • Sistema de avaliação comparativa

 

Esse sistema de avaliação é utilizado para checar se os estudantes dominam um tópico do conteúdo. A avaliação comparativa é aplicada durante ou depois de uma aula e abrange uma parte do material. 

Nesse tipo de avaliação os pais recebem os feedbacks frequentemente, dando uma visão de quais conceitos os filhos não dominam. Com isso, os responsáveis podem rever um conceito com os estudantes, encontrar lições, vídeos, jogos online ou outro recurso indicado pelos professores para estimulá-los.

Aprenda como fazer e baixe um modelo de quiz para complementar o aprendizado.

Todos os tipos de avaliação citados acima podem incluir provas. A questão é: como reformulá-las para atenderem às exigências da Base Nacional Comum Curricular (BNCC)

Nesse caso, é recomendado pensar a longo prazo e estabelecer parcerias que permitam criar a infraestrutura necessária, bem como o desenvolvimento da capacidade de professores e alunos.

O compartilhamento de informações entre professores, inclusive, é algo fundamental no processo de avaliação dos alunos. Saiba como estimular o compartilhamento de boas práticas.

Como implantar um sistema de avaliação adaptado aos tempos atuais?

Antes de mais nada, é fundamental que tenhamos o entendimento de que o sistema de avaliação é um processo amplo e que possui suas especificidades e delicadezas. De acordo com a LDB, a verificação do rendimento escolar deve se basear na avaliação contínua e cumulativa do desempenho do aluno.

Além disso, esse documento preconiza a prevalência dos aspectos qualitativos sobre os quantitativos e dos resultados ao longo do período sobre os de eventuais provas finais. 

Dessa maneira, atribuir nota aos alunos é a atitude resultante de um processo que abrange todo o ciclo de aprendizagem. Em sentido amplo, a avaliação é um processo transversal às práticas educacionais.

Para que esse acompanhamento do aprendizado e as avaliações sejam coerentes e adequadas é imprescindível que esse processo seja vivenciado por professores e alunos no dia a dia escolar. 

A dica para os educadores é implantar um sistema de avaliação com o máximo possível de instrumentos, mais adaptado aos tempos atuais. Assim, o ideal é que ao longo do período planejado, que pode ser bimestral, trimestral ou semestral, sejam realizadas provas objetivas, discursivas e orais. 

Podem ser feitas, também, provas com consulta e sem consulta, além de seminários, observações a participações e autoavaliações, dependendo da maturidade e faixa etária da turma.

Veja abaixo alguns exemplos que a solução do SAE Digital oferece:

1.   Educação Infantil

  • É você quem faz: sessão do nosso material didático na qual a criança realiza uma atividade para registrar algo que viu ou ouviu.

  • Fazer arte: seção em que o aluno realiza atividades para o desenvolvimento de sua sensibilidade estética por meio das linguagens artísticas.

2.   Ensino Fundamental – Anos Iniciais

  • Conversa vai… conversa vem…: seção em que alunos e professor se reúnem para falar sobre o que já aprenderam. Nesse caso, sugerimos que se faça uma videochamada com a turma.
  • Mão na massa: atividades cujos temas contemplam conteúdos já estudados.
  • Agora você já sabe: seção em que estão disponíveis tarefas de revisão.

3.   Ensino Fundamental – Anos Finais

  • Desafio SAE Teens On-Line: O SAE Digital está oferecendo a aplicação digital dessa prova. 
  • Desenvolver e aplicar: atividades investigativas para serem resolvidas individualmente.
  • Mapas conceituais: estrutura esquemática em que o aluno deduz como preencher campos em branco por meio da análise dos campos já preenchidos.

4.   Ensino Médio e Pré-Vestibular

  • Simulado Enem On-Line e Simulados de Ensino Médio: SAE Digital está oferecendo a aplicação digital dessas provas. 
  • Questão comentada: atividades em que há um QR Code para que o aluno, após fazer a questão, acesse um vídeo com sua resolução comentada.

Além dessas sugestões, pesquise outros materiais disponíveis em nossos recursos físicos e digitais que podem ser usados com finalidade avaliativa.

Estratégias para melhorar o desempenho dos alunos

Um sistema de avaliação eficiente também requer o investimento em estratégias que visam a melhora do desempenho dos alunos. 

Isso porque a qualidade do ensino oferecido pela escola interfere na aprendizagem dos alunos. Nessas horas, contar com um Ambiente Virtual de Aprendizagem pode ser um grande diferencial. 

A seguir, confira as principais técnicas para aperfeiçoar o desempenho dos alunos:

 

  • Inove no sistema de avaliação 

 

Para sair do lugar comum, é recomendado aliar provas, trabalhos, apresentações, com testes menos tradicionais, como games online e concursos, no sistema de avaliação.

Além disso, inclua na rotina dos alunos metodologias de autoavaliação como forma de potencializar os resultados em sala de aula. Com todas essas práticas juntas é possível melhorar o desempenho dos alunos.

 

  • Defina metas 

 

Crie uma meta de desempenho dos alunos para nortear as práticas educacionais. Essa estratégia faz com que toda a sua equipe pedagógica ganhe clareza sobre os objetivos que devem ser atingidos e, com isso, se engaje em práticas mais eficientes para melhorar os resultados dos estudantes.

Antes de implementá-las, exponha as ideias da escola para os alunos e estimule o feedback deles. Isso pode ser transformador.

 

  • Invista em práticas de ensino inovadoras

 

A sala de aula tradicional já não se adequa às necessidades e desejos das novas gerações. Pensando nisso, é fundamental investir em mudanças do ambiente físico. Carteiras organizadas em fila, uma atrás da outra, e professores apresentando aulas na frente da sala de aula são métodos fora de moda.

Hoje o estudante precisa ser inserido como protagonista do processo de aprendizagem. Para isso, invista na cooperação entre os colegas para potencializar os resultados de todos. 

Permita também que eles coloquem a mão na massa e dê atividades que coloquem em prática os conhecimentos adquiridos na sala de aula.

 

  • Capacite os professores

 

Os professores são os principais responsáveis pelo processo de ensino-aprendizagem. Portanto, investir na qualificação dos profissionais e entender o papel das novas tecnologias é um pré-requisito essencial para ter estudantes capazes de entregar resultados significativos.

O treinamento investe no processo de qualificação dos professores em conhecimentos teóricos e técnicos voltados à sala de aula. Além disso, deve desenvolver também habilidades e técnicas de didática e para promoção do engajamento e motivação dos estudantes.

 

  • Melhore a comunicação com os pais

 

Os pais e responsáveis também têm um papel fundamental nos resultados dos alunos. É preciso, portanto, abrir canais de comunicação e levá-los para dentro da escola, criando uma relação de parceria/troca.

Para isso, promova eventos que incluam pais, professores e equipe administrativa da escola. Também realize reuniões periódicas para atualizar os responsáveis sobre as práticas e metodologias utilizadas na sala de aula, bem como informar o desempenho das crianças.

Veja um roteiro completo para planejar a sua reunião de pais.

 

  • Use a tecnologia sempre que possível

 

A tecnologia hoje é uma grande aliada no processo de ensino-aprendizagem. Com os estudantes cada vez mais conectados, as ferramentas tecnológicas trazem maior senso de realidade aos alunos. Explore-a abundantemente para potencializar o ensino da sua instituição e melhorar o desempenho dos alunos.

 

  • Ensine os alunos a estudar

 

Outra boa estratégia para potencializar os resultados dos estudantes é criar atividades que ensinem os alunos a identificarem a melhor maneira para aprender, por exemplo, uma equação, interpretação de texto, etc. 

Ao auxiliar os estudantes a desenvolverem metacognição, o professor aumenta a chance de potencializar os resultados em sala de aula. Mais do que isso: os alunos se tornam protagonistas da própria educação.

Qual a importância da afetividade na Educação Infantil?Saiba como o SAE Digital pode ajudar a sua escola!

Mais conteúdos

Existem outros recursos que podem fazer com que a sua escola saia do lugar comum quando o assunto é sistema de avaliação de desempenho. Por isso, listamos alguns conteúdos voltados aos coordenadores pedagógicos e professores que podem ajudar neste sentido. 

Veja abaixo algumas sugestões:

Inscreva-se na nossa Newsletter se quiser receber mais conteúdos como este

O que achou das nossas dicas sobre sistema de avaliação da Educação Básica? Qual tipo de sistema de avaliação você utiliza na sua escola? Compartilhe conosco nos comentários!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Acessos