O que estudar para o Enem 2020

A pandemia do novo coronavírus trouxe mudanças na Educação Básica. A suspensão de aulas presenciais nas escolas públicas e privadas de todo o país levou os estudantes a se prepararem para a prova de forma remota, e o que estudar para o Enem 2020 tem sido um assunto frequentemente questionado. 

Ao longo desse post você vai conhecer as disciplinas cobradas pelo Enem, qual será o formato da prova esse ano, dicas para mandar bem na redação e como o contexto da pandemia do coronavírus pode ser abordado.

Quando acontecerá o Enem 2020?

Inicialmente previstas para novembro, as provas do Enem 2020 foram adiadas para janeiro e fevereiro de 2021. A decisão foi tomada pelo Ministério da Educação (MEC) e o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). As provas impressas do exame serão aplicadas nos dias 17 e 24 de janeiro. Já o Enem Digital será nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro.

O Enem Digital é a grande novidade nesta edição do exame. A versão informatizada do Enem será aplicada em formato piloto para apenas 2% dos mais de 5 milhões de estudantes inscritos para a prova em todo o Brasil. 

Saiba o que é e como vai funcionar o Enem Digital.

Formato do Enem 2020

O Exame Nacional do Ensino Médio foi criado em 1998. Na época, o objetivo do exame era ser uma avaliação nacional de desempenho dos estudantes de ensino médio de escolas públicas e privadas. 

A partir de 2009, o Enem agregou outra função: selecionar estudantes de todo o Brasil para instituições federais de ensino por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Outra utilidade da prova, desde então, é a elegibilidade para programas de incentivo à educação do governo, como Prouni e Fies.

As provas do Enem 2020 serão formadas por 180 questões de múltipla escolha e uma redação. Essas serão aplicadas em dois domingos consecutivos.

No primeiro dia, a prova será composta por 45 questões de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias e 45 questões de Ciências Humanas, além da redação. Já no segundo dia, os assuntos a serem abordados são as Ciências da Natureza e Matemática, também com 45 questões cada. 

O que pode cair no Enem 2020?

As provas do Enem abordam as disciplinas e conteúdos ensinados no Ensino Médio, de maneira contextualizada, em quatro áreas do conhecimento. São elas:

  • Linguagens e Códigos: envolve Português, Literatura e Língua Estrangeira, que pode ser Inglês ou Espanhol. Além disso, no momento da inscrição o estudante precisa escolher uma opção entre Artes, Educação Física e Tecnologias da Informação e Comunicação;
  • Ciências Humanas: inclui as disciplinas de História, Geografia, Filosofia e Sociologia;
  • Ciências da Natureza: traz questões sobre Biologia, Química e Física;
  • Matemática: sendo a própria disciplina em suas diversas abordagens.

Todos os anos o Inep divulga o edital do Enem, que explica publicamente como o exame vai funcionar. Entre as informações divulgadas estão: 

  • definições sobre datas; 
  • prazos; 
  • requisitos para inscrição; 
  • regras para as provas e explicações sobre a correção delas. 

Além do edital, o Enem conta com uma matriz de referência, que aborda os conteúdos e habilidades exigidas dos candidatos na prova e o que estudar para o Enem 2020.

Na primeira parte, a matriz de referência do Enem 2020 aborda os eixos cognitivos. Ou seja, habilidades que são esperadas dos candidatos e são comuns a todas as áreas de conhecimento. Saiba quais são os cinco eixos:

  1. Dominar linguagens: dominar a norma culta da Língua Portuguesa e fazer uso das linguagens matemática, artística e científica e das línguas espanhola e inglesa;
  2. Compreender fenômenos: construir e aplicar conceitos das várias áreas do conhecimento para a compreensão de fenômenos naturais, de processos históricos e geográficos, da produção tecnológica e das manifestações artísticas;
  3. Enfrentar situações-problema: selecionar, organizar, relacionar, interpretar dados e informações representados de diferentes formas, para tomar decisões e enfrentar situações-problema;
  4. Construir argumentação: relacionar informações, representadas em diferentes formas, e conhecimentos disponíveis em situações concretas, para construir argumentação consistente;
  5. Elaborar propostas: recorrer aos conhecimentos desenvolvidos na escola para elaboração de propostas de intervenção solidária na realidade, respeitando os valores humanos e considerando a diversidade sociocultural.

Além desses eixos cognitivos, a matriz de referência do Enem 2020 também é dividida pelas áreas de conhecimento. 

Veja o que é esperado dos candidatos em cada uma das áreas da prova:

Linguagens e códigos

  • Aplicar as tecnologias da comunicação e da informação na escola, no trabalho e em outros contextos relevantes para sua vida;
  • Conhecer e usar língua(s) estrangeira(s) moderna(s) como instrumento de acesso a informações e a outras culturas e grupos sociais;
  • Compreender e usar a linguagem corporal como relevante para a própria vida, integradora social e formadora da identidade;
  • Compreender a arte como saber cultural e estético gerador de significação e integrador da organização do mundo e da própria identidade;
  • Analisar, interpretar e aplicar recursos expressivos das linguagens, relacionando textos com seus contextos, mediante a natureza, função, organização, estrutura das manifestações, de acordo com as condições de produção e recepção;
  • Compreender e usar os sistemas simbólicos das diferentes linguagens como meios de organização cognitiva da realidade pela constituição de significados, expressão, comunicação e informação;
  • Confrontar opiniões e pontos de vista sobre as diferentes linguagens e suas manifestações específicas;
  • Compreender e usar a língua portuguesa como língua materna, geradora de significação e integradora da organização do mundo e da própria identidade;
  • Entender os princípios, a natureza, a função e o impacto das tecnologias da comunicação e da informação na sua vida pessoal e social, no desenvolvimento do conhecimento, associando-o aos conhecimentos científicos, às linguagens que lhes dão suporte, às demais tecnologias, aos processos de produção e aos problemas que se propõem solucionar.

Ciências Humanas

  • Compreender os elementos culturais que constituem as identidades;
  • Entender as transformações dos espaços geográficos como produto das relações socioeconômicas e culturais de poder;
  • Compreender a produção e o papel histórico das instituições sociais, políticas e econômicas, associando-as aos diferentes grupos, conflitos e movimentos sociais;
  • Entender as transformações técnicas e tecnológicas, e seu impacto nos processos de produção, no desenvolvimento do conhecimento e na vida social;
  • Utilizar os conhecimentos históricos para compreender e valorizar os fundamentos da cidadania e da democracia, favorecendo uma atuação consciente do indivíduo na sociedade;
  • Compreender a sociedade e a natureza, reconhecendo suas interações no espaço em diferentes contextos históricos e geográficos.

Ciências da Natureza

  • Compreender as ciências naturais e as tecnologias a elas associadas como construções humanas, percebendo seus papéis nos processos de produção e no desenvolvimento econômico e social da humanidade;
  • Identificar a presença e aplicar as tecnologias associadas às ciências naturais em diferentes contextos;
  • Associar intervenções que resultam em degradação ou conservação ambiental a processos produtivos e sociais e a instrumentos ou ações científico-tecnológicos;
  • Compreender interações entre organismos e ambiente, em particular aquelas relacionadas à saúde humana, relacionando conhecimentos científicos, aspectos culturais e características individuais;
  • Entender métodos e procedimentos próprios das ciências naturais e aplicá-los em diferentes contextos;
  • Apropriar-se de conhecimentos da física, química e biologia para, em situações problema, interpretar, avaliar ou planejar intervenções científico-tecnológicas.

Matemática

  • Construir significados para os números naturais, inteiros, racionais e reais;
  • Utilizar o conhecimento geométrico para realizar a leitura e a representação da realidade e agir sobre ela;
  • Construir noções de grandezas e medidas para a compreensão da realidade e a solução de problemas do cotidiano;
  • Modelar e resolver problemas que envolvem variáveis socioeconômicas ou técnico-científicas, usando representações algébricas;
  • Interpretar informações de natureza científica e social obtidas da leitura de gráficos e tabelas, realizando previsão de tendência, extrapolação, interpolação e interpretação;
  • Compreender o caráter aleatório e não-determinístico dos fenômenos naturais e sociais, e utilizar instrumentos adequados para medidas, determinação de amostras e cálculos de probabilidade para interpretar informações de variáveis apresentadas em uma distribuição estatística.

Dentro destas competências exigidas, ainda existem detalhamentos do que é esperado dentro de cada área e conteúdos que podem ser abordados. 

Para saber mais detalhes sobre o que estudar para o Enem 2020 acesse a matriz de referência completa do Enem 2020.

Como o coronavírus poderá ser abordado no Enem 2020?

Além de ter afetado a rotina dos estudantes durante boa parte do ano, aspectos do novo coronavírus e da pandemia podem ser assuntos que vão cair no Enem. Por isso é um conteúdo que deve entrar para a lista de o que estudar para o Enem 2020.

O tema pode estar presente nas questões de biologia, principalmente. Uma das formas que ele pode ser abordado é com relação ao que é um vírus no geral. Além de características do novo coronavírus, como ele surgiu e como age no organismo.

Ao estudar para o Enem, também é interessante saber o que caracteriza um surto, endemia, epidemia ou pandemia, e quais as diferenças entre eles. 

O novo coronavírus também pode servir de contexto para abordar algumas outras doenças que o Brasil enfrenta ou que já estão sob controle no país, como a dengue, sarampo ou febre amarela. Por isso vale à pena estudar para o Enem com mais atenção a estes temas, como sintomas, modos de transmissão e outras características das doenças.

Outra possibilidade é que o assunto seja relacionado, de forma direta ou indireta, com o tema da redação do Enem 2020. Para se preparar, a recomendação é estudar sobre o vírus, a doença e suas implicações no mundo. 

Quais são as causas, sintomas, formas de transmissão, além das medidas que estão sendo tomadas para conter a pandemia, não só no Brasil como também em outros países. 

Também é importante estar atento e ler sobre os possíveis desdobramentos que estão sendo apontados para a sociedade em setores como cultura, economia, saúde e educação após o fim da pandemia.

No vídeo abaixo, confira 3 possíveis temas para Redação do Enem em tempos de Coronavírus

O que é preciso saber para a redação do Enem 2020

A redação é uma das principais preocupações dos estudantes que vão fazer a prova do Enem 2020. Para aumentar as chances de sucesso nessa matéria, vale entender quais são as características e as exigências da correção da prova.

A proposta de redação do Enem é composta por uma frase-tema, geralmente de um assunto que reflete um problema da sociedade brasileira. Diante desse tema, os estudantes precisam fazer uma proposta de intervenção para tal impasse. O texto deve ser uma dissertação argumentativa entre 7 e 30 linhas.

Além da frase-tema, o Enem oferece uma coletânea de textos de apoio para o candidato. Os textos de apoio podem ser notícias, pesquisas científicas e até mesmo ilustrações. O objetivo dessa coletânea é dar dados sobre o tema para que os alunos desenvolvam ideias e argumentações para a redação. 

Critérios para correção do Enem 2020

Há algumas edições do Exame Nacional do Ensino Médio, o Inep utiliza os mesmos critérios para a correção da redação. São cinco fundamentos aos quais o corretor atribui uma nota de 0 a 200 para somar o valor final de até 1000 pontos. São eles:

  • Domínio da norma-padrão da língua escrita;
  • Compreensão do tema;
  • Organização das informações e argumentos;
  • Correta aplicação da lógica;
  • Apresentar uma proposta de intervenção para o problema.

Dicas para a redação do Enem 2020

Não só a preparação prévia para a redação do Enem é importante. A estratégia e algumas dicas na hora da prova devem ser levadas em consideração para tirar uma boa nota.

Antes da prova

  • Mantenha-se atualizado: informar-se regularmente sobre o que acontece durante o ano no Brasil e no mundo é importante não apenas para ter conhecimento dos possíveis temas a serem abordados, mas também para ter maior facilidade no desenvolvimento da argumentação.
  • Estude ortografia e gramática: saber a grafia correta das palavras e o uso correto de pontuações é essencial para um bom texto e uma boa nota na redação. Além disso é preciso preocupar-se em escrevê-la com letra legível. Vale a pena treinar.
  • Treinar redações de anos anteriores: ter contato com as propostas de redações de anos anteriores do Enem é importante, primeiramente, para ter familiaridade com os temas solicitados. Além de ajudar a exercitar a interpretação de texto e o desenvolvimento de argumentações e propostas de intervenção sobre temas correlatos.

Veja o que professores de escolas parceiras comentaram sobre a prova de redação do Enem 2019

Durante a prova

  • Organize o tempo: ter boa gestão do tempo é super importante para a prova como um todo, mas na redação esse tempo conta ainda mais. Dedique um tempo especial para essa atividade.
  • Leia atentamente à coletânea: antes de começar a escrever, é preciso ler com atenção os textos de apoio. Eles podem fornecer ideias fundamentais para o desenvolvimento da redação.
  • Faça uma proposta de intervenção social: a proposta de uma solução para o problema apresentado no tema da redação é um dos critérios de correção da prova. Por isso não esqueça da intervenção na composição do texto.
  • Faça um rascunho: mesmo que demande mais tempo, fazer um rascunho antes do texto é essencial. É nessa versão que as ideias podem ser alteradas, mudadas de lugar e o candidato pode encontrar palavras melhores para expressar o argumento.

Como estudar para o Enem 2020?

A suspensão das aulas presenciais em escolas de todo o país transformou o dia-a-dia de quem estuda para o Enem 2020. A mudança obrigou que os alunos, especialmente do terceiro ano do Ensino Médio, adaptassem sua rotina de estudos.

Para minimizar os impactos dessa nova realidade no desempenho dos estudantes nas provas do Enem, é preciso organização e dedicação aos estudos. Além de acompanhar as aulas online ofertadas pelas escolas, há alternativas disponíveis que podem ajudar na preparação para o exame:

Veja também algumas dicas de como estudar em casa na quarentena.

  • Estabeleça uma rotina de estudos

O primeiro passo para se preparar para provas como o Enem 2020 é estabelecer uma rotina de estudos. Essa disciplina é ainda mais importante quando o cotidiano foi alterado. Para isso é preciso sempre definir períodos específicos para o estudo, em um local adequado, que minimize as distrações.

Ao reservar um tempo para estudar para o Enem 2020 é preciso delimitar horários para cada atividade, que têm impactos diferentes no aprendizado. Entre elas é preciso contemplar as vídeoaulas, tempo de estudo nos livros e outros materiais e resolução de exercícios.

Além disso é importante preocupar-se também com o descanso e lazer. Corpo e cabeça descansados são essenciais para o melhor aprendizado, pois facilitam a assimilação das informações.

  • Crie um cronograma de estudos

É muito importante saber como dividir o tempo de estudos entre todas as disciplinas e temas que precisam ser compreendidos, e saber discernir o que precisa de mais atenção. 

Por isso a orientação é criar um cronograma de matérias e assuntos específicos para estudar para o Enem 2020, com data e horário para estudá-los e exercitá-los.

Há algumas dicas para facilitar o planejamento e execução deste cronograma, também chamado de plano de estudos. Primeiramente, é preciso priorizar os assuntos que mais têm dificuldades, mas sem esquecer de estudar também as outras disciplinas. 

Durante os estudos, uma estratégia útil é criar resumos inteligentes, que vão ajudar a retomada de certo tema que pode cair no Enem 2020.

  • Estude em grupo

Mesmo com a recomendação oficial de isolamento social, é possível encontrar alternativas para estudar em grupo com os colegas. Uma ideia é propor uma ligação em vídeo para conversar sobre algum tema estudado, tirar dúvidas e explorar ainda mais o assunto.

Além de ajudar no aprendizado, é uma ótima oportunidade para interagir com os colegas.

Lembre-se também que as redes sociais são uma via de mão dupla. Além de serem interessante para a diversão, também podem oferecer benefícios que auxiliam na preparação para o Enem 2020. Há perfis nas redes voltados para educação e até mesmo para o planejamento dos estudos.

  • Assista a videoaulas

As aulas em vídeo são uma maneira mais próxima de simular um ambiente de sala de aula à distância para o estudante. Por isso, é muito importante seguir assistindo as aulas à distância do colégio que está matriculado. Mas além destas aulas regulares, existem diversas opções de videoaulas gratuitas que abordam especialmente o que estudar para o Enem 2020. 

O SAE Digital disponibilizou em seu canal no Youtube uma playlist completa com aulas para o Ensino Médio e Pré-Vestibular.

Acessíveis de diversos dispositivos, exigindo apenas o acesso à internet, as videoaulas têm ainda outras vantagens. Uma delas é a disponibilidade para assistir a aula quantas vezes forem necessárias, até entender o conteúdo, ou mesmo para revê-lo. 

Além disso é possível fazer pausas no vídeo para anotar o que for importante e pontos que precisam ser esclarecidos por outros meios – como no livro, tirar dúvida com o professor, ou até em pesquisas na internet. 

Assista o aulão do SAE Digital sobre: Coronavírus no vestibular e Enem

  • Acompanhe as notícias

A prova do Enem é conhecida por ser interdisciplinar e ter questões contextualizadas. Isso significa que os estudantes precisam ter conhecimento amplo dos temas sociais que estão sendo tratados na mídia. Esses conteúdos podem ser usados como contextos em quaisquer áreas do conhecimento. 

O conhecimento das atualidades pode ser uma grande ferramenta para responder às perguntas do exame. Por isso, é indicado acompanhar o que acontece durante o ano no país e no mundo, assistindo aos telejornais e acessando os portais de notícias para se manter bem informado.

  • Refaça as provas de anos anteriores

Uma ferramenta importante para ser bem sucedido no Enem 2020 é conhecer a prova. Além de se informar sobre seu formato e conteúdo, a melhor maneira para conhecê-la é ter contato com as provas de anos anteriores e refazê-las.

Mesmo se você já realizou as provas anteriores, resolvê-las novamente é importante para desenvolver a habilidade de interpretação de texto necessária para a prova. Para quem nunca fez, a prática é interessante para se familiarizar com os tipos de perguntas, como os conteúdos são abordados e verificar o nível de dificuldade.

Outra forma de refazer as provas é no formato de simulados. Ou seja, colocar-se em um lugar sem distrações, separar o mesmo período que terá para fazer a prova no dia do Enem, e realizá-la do começo ao fim. 

Essa é uma forma de se habituar ao tempo para resolver as questões e também para sentir o clima parecido com o dia do exame. 

Também contamos com um caderno de questões do Enem. Clique no banner e confira!

Questões Enem

  • Pratique a redação

O tema da redação do Enem 2020 é sempre uma incógnita, tanto para professores quanto para estudantes. Por isso, o grande segredo é ter uma boa capacidade de argumentação para saber conseguir fazer um bom texto sobre qualquer que seja o tema proposto. Para desenvolver essa habilidade, é necessário muita prática da redação durante os estudos. 

Além de se manter atualizado sobre os temas abordados durante o ano – desde questões históricas, sociais e notícias nacionais e internacionais – é preciso treinar a escrita. Também é preciso ter conhecimento do que é esperado da redação do Enem 2020 pela banca avaliadora.

  • Crie uma estratégia para as provas

Por fim, mas não menos importante, é necessário pensar uma estratégia para resolver a prova. Como a prova é longa e cansativa, exigindo muito do candidato, estas são algumas dicas que podem ajudar o melhor desempenho no exame:

  1. Comece com as questões mais fáceis: isso dá uma motivação inicial e te ajuda a não perder tempo no início da prova. Uma dica é começar pela área de conhecimento que gosta mais ou tem mais facilidade;
  2. Não hesite em pular questões: mais uma vez, perder muito tempo em uma questão, ainda no início da prova, não é recomendável. É mais inteligente aproveitar o período descansado para fazer o maior número de questões mais fáceis que puder.
  3. Alterne matérias: para se manter focado e o estresse controlado, recomenda-se intercalar questões de matérias diferentes. Assim você não terá uma sequência de questões muito desafiadoras para encarar.
  4. Descanse: Por serem muitas horas de avaliação, é importante parar por alguns minutos no meio da prova. Se precisar, aproveite para ir ao banheiro, beber água ou comer nesse intervalo.

E aí, será que essas dicas foram úteis para saber o que estudar para o Enem 2020? Deixe a sua opinião nos comentários.

Se precisar de mais materiais para se preparar para a prova, você pode indicar as soluções do SAE Digital para a sua escola. Por exemplo, o Arrase no Enem,  reúne um acervo completo de videoaulas e roteiros de estudo que contribuem diretamente com o desenvolvimento dos alunos e auxiliam docentes no preparo das aulas. 

Conheça o Arrase no Enem!

webinários sae digital

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Acessos