Orientações para professores de Educação Infantil no período da Quarentena

Nesse momento em que precisamos adequar totalmente nossa rotina para o ensino a distância (EaD) devido ao combate à proliferação do novo Coronavírus, temos algumas orientações para professores e escolas que podem facilitar o engajamento dos alunos da Educação Infantil nos estudos em casa.

A verdade é que a Educação Infantil oferece desafios diários para os educadores, por exemplo, estabelecer uma rotina normalmente cheia de atividades para a qual o planejamento deve atender a esse tipo de demanda dentro da sala de aula. Mas o cenário diferente que vivenciamos exige um processo de se reinventar, e esse é o maior desafio dos professores nesse período de quarentena.

Como manter o planejamento fora de sala? Como entregar as atividades pedagógicas aos alunos de forma eficiente? Qual ferramenta utilizar para isso? Como instruir os familiares a desenvolverem as atividades propostas pela escola?

Esses são apenas alguns dos questionamentos que rondam a cabeça dos docentes deste segmento. Para esclarecer essas e outras dúvidas e fornecer orientações para professores, conversamos com a Prof.ª Luciana Spadaro, pedagoga e assessora pedagógica do SAE Digital, com mais de 10 anos de experiência em Educação Infantil e Ensino Fundamental (Anos Iniciais). Confira o resultado disso, nesta matéria. Vamos lá?

Filosofia em Sala de Aula – Qual a sua importância?

Orientações para professores de Educação Infantil:

1. Continue com o planejamento das aulas, mas pense em adaptações

O fato de educadores e alunos estarem distantes uns dos outros e da escola não é um impeditivo para que o planejamento das aulas continue sendo seguido. Muito pelo contrário, nesse momento conturbado e de adaptação para o ensino a distância é fundamental manter a execução daquilo que foi cuidadosamente planejado.

Contudo, precisamos ter em mente que vivemos um cenário diferente, e isso exige adaptações para adequar o estudo das crianças em casa. O professor precisa ser também pesquisador e estudar a situação e o material disponível, para aplicá-lo nessa nova rotina dos alunos.

Lembre-se: no momento do planejamento, tenha muito claro qual é a habilidade que você deseja desenvolver com cada uma das atividades. As orientações para professores neste momento é informar isso aos pais, de forma simples, evitando termos mais técnicos”. Oriente também sobre como a criança deve ser observada e quais os objetivos de aprendizagem para cada atividade, para verificar a evolução do seu aprendizado.

Ao encaminhar as atividades, não se esqueça de oferecer possibilidades de adaptações para sua realização e quais objetos podem ser usados em substituição aos citados no guia da tarefa. Devemos nos lembrar de que as famílias não possuem todo o material de apoio que temos na escola e que na atual conjuntura sequer poderão sair para comprar.

2. Comunique-se e ouça a família ativamente

Algo crucial para que o ensino a distância tenha resultados eficientes é a construção de uma comunicação aberta e ativa com os familiares e responsáveis. Porém, nesse cenário, a boa e velha agenda perde sua efetividade.

A verdade é que muitas instituições de ensino já estão abandonando-a e passando a adotar a agenda digital. Sem dúvida, se a sua escola possui essa ferramenta, ela é a solução ideal, pois permite a troca de informações de maneira muito ágil, objetiva e segura. As orientações para professores, caso você não tenha acesso a essa tecnologia educacional, é a de que existem algumas opções para estabelecer a comunicação com as famílias dos seus alunos. Uma delas é o WhatsApp, aplicativo de mensagens instantâneas que dispensa apresentações. Com ele é possível criar listas de transmissão que permitem o envio de uma mensagem a vários contatos de uma única vez. Assim, basta criar uma lista para cada turma com o contato dos responsáveis para encaminhar comunicados de maneira descomplicada. Neste arquivo você encontra a explicação de como usar essa função.

Outras possibilidades são o tradicional e-mail e o Google Drive, um serviço de compartilhamento de arquivos. Você pode criar pastas acessíveis apenas aos familiares de cada turma, disponibilizando nelas os conteúdos pertinentes àqueles alunos.

Para facilitar ainda mais essa comunicação, a orientação para professores é gravar vídeos curtos com as orientações aos responsáveis e, principalmente, às crianças. Essas curtas gravações são importantes para alimentar o contato entre educador e aluno, algo muito proveitoso para as crianças da Educação Infantil, pois elas se sentem mais confortáveis e seguras assistindo a um rosto conhecido e escutando a voz do seu professor.

Independentemente do canal escolhido, você deve escutar ativamente a família. Pais, mães, avós, irmãos e quem mais estiver acompanhando os estudos das crianças em casa querem fazer o melhor, mas muitas vezes não sabem como proceder. Eles precisam saber mais sobre as habilidades que o aluno deve desenvolver naquele ano, isso irá alinhar as expectativas.

3. Procure envolver os familiares

No dia a dia “comum” da escola, sabemos que cada atividade tem que ser prazerosa e divertida para que prenda a atenção das crianças, especialmente as menorzinhas. Isso não deve mudar com o EaD, então as atividades em vídeo precisam ser legais e descontraídas. Mas agora temos um novo elemento nesse cenário: os familiares.

Na faixa etária abrangida pela Educação Infantil, muitas vezes a criança ainda não tem autonomia para utilizar um computador, tablet ou smartphone sozinha, ou seja, os pais precisam acompanhar todas as aulas – e se elas forem maçantes podem se sentir desmotivados para realizá-las com os pequenos.

Assim, as orientações para professores é fazer formações com os pais explicando como se dará esse período, o objetivo das atividades e as habilidades a serem desenvolvidas. Deve-se mostrar a importância da Educação Infantil e que ela não é constituída de “simples brincadeiras”. Muitas das atividades são brincadeiras, sim, mas elas possuem finalidade educacionais e de aprendizados variados. Além disso, as habilidades desenvolvidas nessas idades serão essenciais para que elas atinjam capacidades mais complexas lá no Ensino Médio, por exemplo – Para saber mais, faça uma leitura detalhada das 10 Competências Gerais trazidas pela BNCC .

Filosofia em Sala de Aula – Qual a sua importância?

4. Mantenha a frequência de atividades

Conforme mencionamos anteriormente, precisamos dar continuidade ao planejamento das aulas, sendo imprescindível para a sequência didática e que garanta a constância no desenvolvimento dos alunos. Assim, se na escola são desenvolvidas atividades para estimular o aprendizado das crianças 5 dias na semana, o ideal é que isso se mantenha nos estudos em casa – a menos que alguma delas não faça sentido ao ser executada fora do ambiente escolar.

Dessa forma, busque manter a mesma frequência de atividades que realizaria em sala de aula, apenas reduza a quantidade. Envie tarefas diárias, mas que tenham realização rápida. A ideia é provocar estímulos em “doses homeopáticas”, o que para as escolas conveniadas ao SAE Digital pode ser feito por meio do Livro Digital e os elementos de Realidade Aumentada.

5. Crie atividades curtas e interativas

Vale reforçar que videoaulas longas não fazem sentido para a Educação Infantil. Para evitar a dispersão da atenção dos pequenos, as orientações para professores são de quebrar o assunto em várias partes, em vários vídeos pequenos. Além disso, o que prende a atenção das crianças é a brincadeira, então use e abuse da sua voz contando histórias com diferentes entonações de voz, reproduza músicas contextualizadas ao tema da tarefa, exiba complementos visuais coloridos e animados.

Mas e qual seria o tempo ideal de videoaula? Infelizmente, não existe uma receita de bolo que se aplique a todas as turmas e muito menos a todos as idades. A duração das aulas deve variar de acordo com a idade e a capacidade de atenção. Para os menores, de 1 a 2 anos por exemplo, gravações com alguns segundos podem ser suficientes, enquanto crianças com 5 anos podem acompanhar conteúdos com 1 a 3 minutos.

Na dúvida, comece criando videoaulas bem curtas e vá aumentando aos poucos, sempre solicitando o feedback dos familiares, por meio de perguntas como: “A aula funcionou segundo o que foi planejado para ser observado?”, “o aluno conseguiu assistir tudo?”, entre outras. Com as respostas, vá adequando suas próximas produções. Combine seu feeling com o retorno dos responsáveis e individualize as aulas para cada turma.

Orientações para professores: Como se preparar para as aulas on-line

Essa mudança abrupta do ensino presencial para o ensino a distância forçou uma adaptação inesperada para todos. Produzir videoaulas, estabelecer uma comunicação ativa com o afastamento e realizar outras demandas são desafios totalmente novos para os quais a maioria dos educadores não recebeu formação para enfrentar.

Portanto, as orientações para professores neste momento, são de que é normal surgirem muitas dúvidas e ter dificuldades nas primeiras produções, mas com algumas dicas e conteúdos que temos para você esse processo de aprendizado será facilitado. Confira abaixo como se preparar para as aulas remotas.

  1. Oriente os familiares: faça videochamadas para apresentar e alinhar conteúdos combinados com os responsáveis, explicando a importância de seguir com todas as atividades previstas, tanto legalmente quanto pedagogicamente. Essas conversas devem ser periódicas, de acordo com a necessidade de cada ano e turma. O ideal é que esse papo aconteça pelo menos uma vez na semana para orientações das atividades daquele período. você encontra indicações de ferramentas para fazer essas ligações em vídeo.
  2. Adeque os seus planos de aula: o ambiente de estudo e a dinâmica com a qual os alunos estudam de casa não são os mesmos dos encontrados na escola. Assim, aplicar o que foi pensado no início do ano letivo pode não ser eficiente nesse novo cenário. Portanto, é preciso adequar os planos de aulas para esse contexto que vivenciamos. Nesta matéria você encontra tudo o que precisa saber sobre como montar plano de aulas remotas.
  3. Produza videoaulas dinâmicas e interativas: com o planejamento devidamente adequado para o ensino a distância, é hora de preparar os conteúdos, as atividades complementares e as videoaulas. Todo esse material deve ser dinâmico e muito interativo, pois precisa se aproximar o máximo possível da ambientação da sala de aula, podendo e devendo explorar recursos virtuais de grande valia para o aprendizado e que são pouco adotados na escola. Clique aqui para conferir um guia completo de como produzir aulas remotas.

Orientações para professores: Conteúdos para criar videoaulas efetivas

E tem muito mais conteúdo para você. Preparamos algumas sugestões de atividades pensadas especificamente para alunos com 3, 4 e 5 anos. Além disso, produzimos um artigo para ajudar as crianças a estudar em casa com orientações para as famílias, no qual você pode encontrar orientações valiosas para compartilhar com os responsáveis dos seus alunos.

Em seus webinários, a pedagoga e assessora pedagógica Luciana Spadaro comentou sobre duas séries adultas que podem ajudar na compreensão desse momento de ressignificação da Educação que estamos passando. São elas: Merlí e Anne with an E. Lembrando que essas séries não são recomendadas para menores de idade. Ela também disponibilizou uma pasta com alguns arquivos de orientação e dicas de atividades, que você pode acessar clicando aqui.

Inclusive, aconselhamos que você assista na íntegra os webinários, disponíveis nos vídeos abaixo. São várias dicas valiosíssimas de como engajar alunos da Educação Infantil em casa e como preparar suas aulas on-line, respectivamente. Clique no banner e acesse todos os webinários:

orientações para professores

Acesso gratuito a ferramentas de ensino a distância

Pensando nas necessidades das escolas da rede particular do Brasil nesse período de suspensão das aulas, o SAE Digital está oferecendo a algumas instituições selecionadas a possibilidade de experimentar gratuitamente as tecnologias educacionais que podem fazer toda a diferença na qualidade de ensino a distância oferecido pela sua escola. Para saber mais, solicite um contato dos nossos especialistas clicando no banner a seguir!

Filosofia em Sala de Aula – Qual a sua importância?

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Acessos