Professor, como preparar aulas on-line?

Vamos mostrar aqui tudo o que o professor precisa para preparar aulas on-line, que engajem os alunos e garantam um bom aprendizado.

A rotina de toda a comunidade escolar mudou drasticamente e repentinamente com a epidemia do novo Coronavírus. Com as aulas suspensas, muitas escolas, educadores, pais e alunos tiveram que passar do ensino presencial para o ensino a distância (EaD) sem muito tempo de preparação – o que é um desafio bem grande para todos e principalmente para o professor.

As crianças e os jovens estão tendo que se adaptar com o estudo em ambiente no qual estavam acostumados a, na maior parte do tempo, brincar e descansar. Os pais tiveram que rever suas rotinas para trabalhar e acompanhar o desenvolvimento educacional dos filhos em casa, enquanto gestores e equipes escolares estão buscando novas maneiras de oferecer suporte para docentes e alunos.

Mas e você, professor, como está se preparando para as aulas on-line? Apesar de muitos educadores terem uma longa bagagem e muita experiência em sala de aula, ensinar por videoaulas pode exigir pontos de atenção diferentes do que é visto na escola. Portanto, esse também é um momento de aprendizado para os educadores. Afinal, não podemos nos esquecer de que o sucesso do processo de aprendizagem dos estudantes depende da qualidade com que o conteúdo é transmitido.

Pensando em colaborar com os professores de todo o Brasil, juntamos aqui tudo o que você precisa saber para desenvolver videoaulas interativas, que engajem os alunos e garantam um bom aprendizado. Além disso, trazemos dicas de ferramentas para ajudar nas suas aulas a distância, desde a comunicação até a avaliação das turmas.

Filosofia em Sala de Aula – Qual a sua importância?

1. Construa o plano de aula para aulas on-line

Assim como no ensino presencial, as aulas do ensino a distância também precisam ser construídas com base em um plano de aula. A questão é que a interação com os estudantes, a forma como eles consomem os conteúdos e as ferramentas disponíveis para eles não são as mesmas encontradas na escola.

Portanto, simplesmente aplicar o plano de aula previsto no início do ano letivo nessa situação pode não ser tão eficiente, pois pode comprometer a qualidade do processo de ensino-aprendizagem. Assim, é importante que o planejamento das aulas seja revisto ou refeito.

Plano de Aulas Remotas – Como fazer?

Você tem dúvidas sobre como fazer isso? Não se preocupe, na verdade poucos são os educadores que recebem essa preparação da maneira adequada. Mas o SAE Digital é um sistema de ensino com grande foco em tecnologias educacionais, especialmente em iniciativas de EaD. E a gente preparou um guia completo de como montar planos de aulas remotas.

preparar-aulas-on-line

2. Prepare o conteúdo para aulas on-line

Com o planejamento das aulas devidamente organizado, o próximo passo é preparar o conteúdo necessário para as aulas on-line. Tenha em mente que o ambiente virtual é diferente do físico, então aproveite para explorar diferentes formatos de materiais, os quais muitas vezes acabam não sendo tão utilizados em sala de aula.

Entre eles podemos citar ilustrações, animações, infográficos, podcasts, webinários, livros digitais e muito mais. O importante é que esses conteúdos sejam objetivos, ou seja, tragam a quantidade de informação necessária sem que se tornem entediantes e assim prendam a atenção dos alunos – que, como nós sabemos, na frente de computadores e celulares é facilmente dispersa.

Uma ótima fonte de conteúdo são os materiais do SAE Digital que estão sendo disponibilizados gratuitamente neste período de quarentena no combate à proliferação da COVID-19. São videoaulas e atividades complementares publicados diariamente para alunos da Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio, das redes públicas e particulares do país. Todo esse material é oferecido nosso Blog e canal no YouTube.

Para saber mais sobre como o SAE Digital pode ajudar sua escola com o ensino a distância, clique aqui e solicite o contato de um dos nossos consultores.

Filosofia em Sala de Aula – Qual a sua importância?

3. Grave as videoaulas

Com o conteúdo das aulas pronto, é chegada a hora de começar a gravar as videoaulas. Mas antes de apertar o botão REC da sua câmera, vale a pena conhecer algumas dicas que podem fazer a diferença no resultado final das gravações e consequentemente da apresentação das suas aulas on-line.

Cenário

Algo que muitas vezes é deixado de lado, mas que tem sua importância na composição de uma videoaula, é o cenário. Um ambiente poluído visualmente, cheio de objetos e decorações que não possuem relação com o conteúdo apresentado, pode acabar sendo ponto de distração para quem assiste.

Você não precisa fazer uma obra na sala ou escritório de casa para transformar o cômodo em um estúdio profissional. Contudo, se não é possível adaptá-lo de maneira que tenha harmonia com o tema da aula, é melhor deixá-lo clean, ou seja, com menos elementos em torno de você.

Câmera

Esse é um aspecto muito sensível para o desenvolvimento de videoaulas, pois a câmera é um dos equipamentos mais caros dentre aqueles utilizados na produção desse tipo de conteúdo. Obviamente, principalmente por ser um panorama temporário, nossa indicação não é que você adquira um modelo profissional de alguns milhares de reais.

Porém, se você já possui uma câmera fotográfica que costuma usar para registrar suas viagens, esse é o momento de utilizá-la mais do que nunca. Além disso, os smartphones mais modernos possuem câmeras embutidas com resolução de captura excelente e podem ser usados para as gravações. Até mesmo as webcams de notebooks mais novos contam com ótima qualidade de imagem.

Em suma, entre os aparelhos eletrônicos acessíveis para você, procure aquele com maior resolução de captura. Se tiver pelo menos a resolução HD (1280 x 720 pixels) já está de bom tamanho.

Microfone

Além de enxergar com clareza o que está sendo exibido na tela, os alunos precisam compreender o que está sendo dito ou reproduzido na videoaula. Assim, o equipamento que faz dupla com a câmera é o microfone.

Dependendo do aparelho escolhido para a gravação de imagem, isso sequer será um problema, pois smartphones, notebooks e webcams modernos possuem dispositivos com capacidade de captura em estéreo (que é uma maneira mais limpa de registrar áudio).

Nossa orientação é que você faça testes curtos de gravação com o aparelho escolhido, sem se preocupar com o silêncio do ambiente nesse momento. Na verdade, é bom que tenha algum barulho. Em seguida, verifique a qualidade de imagem e áudio.

Está percebendo muitos ruídos externos na gravação? Você pode tentar usar um fone que tenha microfone embutido (também conhecidos como headsets), os quais normalmente são projetados exatamente para direcionar melhor a captura de áudio, reduzindo a interferência de sons do ambiente.

Iluminação

Visando oferecer o melhor possível para seus alunos, a iluminação também merece cuidados para uma boa visualização do que é mostrado durante a videoaula e até mesmo para que os estudantes enxerguem o professor com clareza. Portanto, o ambiente deve ser bem iluminado. A iluminação natural pode ser uma grande aliada nessas horas. Com isso, manter a janela aberta pode garantir que a captação ocorra de forma adequada.

O local que você conseguiu montar seu “estúdio” não está recebendo diretamente tanta luz natural? Uma saída é usar isopor, cartolina branca ou algum outro material brilhante que possa “rebater” essa luminosidade para o lugar no qual você se posicionará nas gravações. Mantenha a câmera ligada apontada para essa posição enquanto movimenta o material refletivo. É perceptível a alteração de luminosidade na tela da câmera.

Caso na sua residência tenha fontes luminosas com intensidade semelhante, como aquelas lâmpadas de LED usadas pelas mulheres para maquiagem, elas podem ser usadas para criar a chamada “configuração de dois pontos”, que consiste em direcionar essas fontes luminosas na diagonal para o centro de captura da câmera – onde provavelmente você deve ficar durante as gravações. Não tem segredo, como é possível observar na imagem a seguir.

preparar-aulas-on-line

Fonte da imagem: Podia

Edição

Por fim, há ainda a possibilidade de complementar esse material audiovisual com o processo de edição, também conhecido como pós-produção. Para a situação atual, aqui o principal propósito não deve ser corrigir problemas de iluminação ou outras imperfeições de imagem, mas adicionar composições que possam agregar valor ao conteúdo ou facilitar o entendimento dos alunos.

É nessa etapa que podem ser incluídas transições entre a sua fala e a exibição de slides, ou ainda com a exibição de infográficos, vídeos, animações e todas aquelas possibilidades de materiais que comentamos anteriormente. Pode-se ainda cortar trechos que ficaram longos demais ou acabaram fugindo um pouco do escopo do plano de aula.

Antes de desistir dessa etapa por imaginar que as ferramentas sejam extremamente complicadas, dê uma chance e pelo menos confira as opções de softwares que listamos na sequência. Várias delas são gratuitas e algumas, inclusive, possuem versões utilizáveis diretamente pelo navegador, mas todas são ferramentas bastante intuitivas.

Filosofia em Sala de Aula – Qual a sua importância?

Dicas importantes para aulas on-line

Até aqui vimos muito da parte técnica relacionada ao processo de captura e edição das videoaulas. Contudo, é importante salientar que gravar esse formato de aula é diferente de produzir outros tipos de conteúdo, bem como da dinâmica de sala. Preparar aulas on-line exige alguns cuidados específicos, os quais vamos abordar aqui – embora você possa já estar habituado com várias dessas dicas.

Oratória e postura

A prática de sala de aula traz ao educador a experiência de como se portar perante os alunos e conduzir a aula de maneira a tirar dúvidas no momento que elas surgem. Contudo, isso não é possível nas videoaulas, já que o professor não pode identificar quando não foi entendido. Assim, é importante alguns pequenos ajustes de oratória e postura para evitar dúvidas ao máximos.

A primeira delas é falar pausadamente. Reduzir um pouco o ritmo natural da fala colabora para que os estudantes acompanhem todo o conteúdo passado sem que tenham dificuldades de entendimento por não terem entendido o que foi dito. O tom de voz também é importante, pois se comunicar de maneira segura transmite autoridade sobre o conteúdo que está sendo passado.

Interaja com os estudantes

Além disso, para manter a proximidade com seus alunos, é essencial não deixar de criar momentos de empatia e interação com eles. Embora a aula seja a distância, os estudantes precisam sentir que o professor está presente.

Assim, continue com hábitos costumeiros que tem em sala de aula e ofereça diferentes canais de comunicação para que os estudantes possam conversar entre eles e tirar dúvidas com você (vamos falar de algumas ferramentas para isso mais à frente). Incentivar esse diálogo e se colocar à disposição fará com que a adaptação dos alunos para esse novo formato de aulas aconteça com mais naturalidade.

Ofereça atividades contextualizadas e atuais

Uma maneira de qualificar o processo de ensino-aprendizagem de crianças e jovens é exercitar os conhecimentos adquiridos por meio de atividades complementares contextualizadas, atuais e criativas. Esse é o caminho mais eficiente para que eles possam construir o relacionamento do que foi estudado com o mundo que os cerca.

E novamente: vamos aproveitar o universo digital para explorar tarefas e conteúdos em formatos pouco usuais em sala de aula, para garantir o engajamento de todos.

Faça avaliações e dê feedbacks

Não é segredo que as avaliações são importantes para verificar se os estudantes estão assimilando aquilo que foi planejado e para o seu desenvolvimento educacional. Mais do que dar nota para o desempenho dos alunos, as avaliações podem trazer indicativos relevantes para verificar se as estratégias pedagógicas e planos de aula estão realmente funcionando e, se for o caso, ajustar o rumo para que a qualidade de ensino seja garantida.

Isso é essencial principalmente nesse momento de transição do ensino presencial para o EaD. Busque realizar atividades avaliativas a cada aula ou módulo apresentado, a fim de ajudar os estudantes a fixarem o que aprenderam e os professores a terem ideias de melhorias para as videoaulas.

preparar-aulas-on-line

Ferramentas essenciais para preparar aulas on-line

Já debatemos tudo o que é necessário para que o conteúdo esteja adequado para o ensino a distância e trouxemos as dicas mais importantes para que você consiga gravar suas videoaulas com a qualidade que seus alunos merecem.

Ao longo dessa discussão, fomos comentando, por exemplo, sobre manter-se próximo dos estudantes, abrir espaços de comunicação e promover a interação da turma. Para executar essas ações, existem diferentes maneiras e ferramentas, então selecionamos algumas sugestões de softwares que podem ajudar você nesse processo.

WhatsApp

Esta é uma ferramenta que dispensa apresentação, já que é o mensageiro instantâneo mais utilizado no mundo. Por todos estarem muito familiarizados com o WhatsApp, inclusive os alunos, ele pode ser o meio mais prático para conversas individuais com os estudantes, bem como para criar grupos por turma, nos quais podem ser discutidos assuntos pertinentes às aulas.

Além disso, as listas de transmissões permitem que você encaminhe comunicados para vários contatos com um único envio. No vídeo abaixo você aprende a utilizar esse mecanismo.

Aulas on-line no Google Hangouts

A Google possui uma plataforma de comunicação bastante completa chamada Hangouts. Com ela, você pode estabelecer conversas por texto com um grupo de até 150 pessoas e realizar videochamadas com até 10 pessoas no plano básico e gratuito. Caso a sua escola possua um plano pago (pois existe uma opção específica para instituições de ensino), essas videoconferências podem ser entre até 25 pessoas. Veja a seguir como criar e gravar videochamadas com esse serviço.

Google Drive

Na hora de passar atividades complementares e simulados, você pode usar o Google Drive para enviar e compartilhar os materiais em pastas, que ficam hospedadas na nuvem e podem ser acessadas somente pelos alunos da mesma turma. Inclusive, esse serviço permite a edição colaborativa de arquivos de texto, planilhas, apresentações, entre outros. Pode ser uma boa oportunidade de uma atividade desenvolvida por todos, literalmente, ao mesmo tempo. Descubra tudo sobre o Google Drive no vídeo abaixo.

Google Forms

Aproveitando a linha de produtos da Google, que possuem várias integrações entre eles, outra ferramenta de grande utilidade é o Forms. Em essência, ele consiste em formulários on-line para a veiculação de pesquisas, mas suas configurações permitem elaborar avaliações, simulados e provas para resolução no formato digital – inclusive com a funcionalidade de autocorreção. Para aprender a integrar o Google Forms ao Google Drive e criar essas avaliações “automatizadas”, não deixe de assistir ao seguinte vídeo.

Skype

A Microsoft é mais uma das empresas gigantes de tecnologia que oferece uma plataforma de comunicação interessante. O Skype é um serviço que conta com as funções de chat, para conversas de texto individuais e em grupos, e videochamadas. Ele possui versão de acesso pelo navegador e aplicativos para os mais diversos sistemas operacionais, tanto de computadores quanto de celulares. Um dos seus destaques é a possibilidade de compartilhar a sua tela, ou seja, os alunos poderão visualizar aquilo que está sendo exibido no seu PC ou smartphone. Para conhecê-lo melhor, segue um vídeo bastante prático.

Aulas on-line no Microsoft Teams

Outra plataforma da Microsoft é o Teams, que oferece tudo o que é preciso para trabalhar em equipe usando chats, espaços para compartilhamento de arquivos, chamadas com vídeo e edição colaborativa de arquivos. Ele é uma solução corporativa, focada em empresas, mas possui uma versão destinada para escolas. Então, vale a pena cadastrar sua instituição para usar todas as funcionalidades. O vídeo abaixo explica em detalhes o funcionamento do Microsoft Teams.

Luzes, câmera e ação!

Ufa, é bastante coisa para ser observada, não é mesmo? Agora é hora de colocar tudo isso em prática, treinar e preparar suas aulas on-line. Antes de começar a gravar as aulas que serão veiculadas aos alunos, faça alguns pequenos testes. Veja como ficou o resultado da gravação, se imagem e áudio ficaram limpos, se a sua desenvoltura em frente à câmera está adequada. É uma dinâmica de aula totalmente nova para a maioria dos educadores, então é normal ter dúvidas e algumas dificuldades com as videoaulas nas primeiras tentativas.

Temos outras matérias que podem complementar seu planejamento e atuação com o EaD. Já abordamos como manter os alunos engajados enquanto as aulas estiverem suspensas e demos dicas para estudar em casa durante a quarentena do Coronavírus.

Esperamos que essas orientações ajudem você a produzir aulas remotas eficientes, colaborando para o desenvolvimento de seus alunos nesse momento conturbado. Precisamos unir forças para combater a epidemia, mas sem permitir que ela comprometa a educação dos estudantes. Até a próxima!

preparar-aulas-on-line

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Acessos