práticas pedagógicas

Com a globalização e as crescentes transformações sociais, os métodos tradicionais de ensino não são mais suficientes para acompanhar o desenvolvimento das crianças e adolescentes, principalmente porque não consideram as particularidades de cada estudante e não promovem a personalização do ensino.

Dessa forma, para atender as atuais necessidades dos alunos, o ensino precisou ser adaptado para a realidade atual. O objetivo é transformar cada aluno em protagonista da sua jornada estudantil, o que só é possível através da Personalização do Ensino, que você entenderá a seguir o que é e como implantar na sua escola!

O que é a personalização do ensino?

Personalização do ensino, também conhecido como ensino adaptativo ou ensino individualizado, é um tipo de ensino que considera os aspectos individuais de cada estudante para orientar as estratégias utilizadas no ensino.

Como o próprio nome indica, “personalização” diz respeito ao ato de personalizar, ou seja, tornar individual. Dessa forma, a metodologia de ensino-aprendizagem utilizada se dá segundo as necessidades de cada estudante, ou de um grupo de alunos com particularidades em comum.

Essa é uma tendência de ensino bastante atual, que surgiu da necessidade de adaptação das metodologias comuns para a realidade das salas de aula. Seu principal objetivo é fugir da repetição de conteúdos e adaptar o ensino conforme o contexto dos estudantes e às mudanças da sociedade.

Sabemos que a personalização do estudo não é de hoje, pois quem atua no ambiente escolar sabe que existem grupos de alunos distintos, com demandas específicas e, diferentes tempos e formas de aprendizagem. Contudo, o reconhecimento e a denominação dessa prática são recentes.

Além disso, após a pandemia é ainda mais necessário se atentar para a personalização do ensino, visto que os alunos estudaram por um determinado período com aulas remotas. Devido a isso, adotaram diferentes metodologias de ensino adaptadas ao seu contexto social e familiar, o que contribuiu para acentuar ainda mais essas diferenças de aprendizagem.

 

Por que a personalização do ensino é importante?

A personalização do ensino não é apenas importante, mas necessária, uma vez que o ensino precisa alcançar a todos. Dessa forma, é preciso que professores e tutores adaptem as metodologias de ensino conforme as necessidades dos estudantes, considerando suas limitações e contextos.

Além de melhorar o ensino-aprendizagem, essa personalização humaniza o ensino, pois ao respeitar as particularidades dos alunos, essa prática demonstra a valorização do indivíduo.

É importante ressaltar que essa proposta pedagógica também é bastante benéfica para as escolas, pois potencializa o desenvolvimento da aprendizagem individual e coletiva, proporcionando:

1) Aumento do engajamento dos alunos

Ao personalizar a metodologia de ensino conforme as necessidades de cada aluno, isso aumenta o seu interesse nas disciplinas, fazendo com que o seu rendimento seja muito maior.

Isso porque essa proposta promove o uso de novas tecnologias aplicadas à educação, tornando o conteúdo mais interativo, logo, também mais interessante para os alunos. Além disso, essa prática estimula o comportamento colaborativo, de forma que possam interagir entre si, colaborando também para a melhora do engajamento.

2) Desenvolvimento de novas habilidades e competências

Ao trabalhar com metodologias adaptadas aos interesses e às necessidades dos alunos, é possível promover o desenvolvimento de novas habilidades práticas e competências socioemocionais.

Isso porque o ensino personalizado permite explorar a capacidade integral dos estudantes, além de estimular novas práticas que permitem abordar conteúdos complexos de forma mais dinâmica, possibilitando a absorção de novos conhecimentos.

 

Leia também: Novas Tecnologias na Educação – Confira 5 tendências para aplicar na sua escola

Instagram SAE Digital

3) Melhora do processo de ensino-aprendizagem

Essa é uma consequência da personalização do ensino, que melhora a absorção de conhecimento por parte dos alunos, visto que as metodologias são direcionadas para a sua forma de aprender.

O ensino personalizado promove uma melhor adaptação dos alunos à escola e aos conteúdos abordados, facilitando a aprendizagem. Dessa forma, a trajetória dos estudantes é otimizada e agilizada, tornando o processo de ensino-aprendizagem mais prazeroso e produtivo.

4) Melhora no relacionamento entre alunos e professores

Um ensino personalizado faz com que alunos e professores se comuniquem de forma mais clara, estreitando assim essa relação e possibilitando que os docentes conheçam melhor as particularidades e dificuldades de cada aluno, o que permite personalizar ainda mais o ensino e as práticas adotadas.

Além disso, o aluno se sente mais seguro ao se expressar, pois sabe que o objetivo da escola é atender suas necessidades. Dessa forma, isso cria um elo entre alunos e professores que fortalece essa confiança, proporcionando uma comunicação mais aberta e assertiva, que facilita ainda mais a adaptação ao ensino.

5) Melhora na taxa de retenção e redução nas taxas de evasão

Com um ensino personalizado, vimos que os alunos se sentem mais motivados e engajados, além de aprenderem mais e melhorarem seu relacionamento com a escola e os docentes.

Um resultado decorrente disso é o aumento da retenção de alunos e a redução das taxas de evasão. Isso porque, alunos que aprendem mais e estão entusiasmados com o ensino, tendem a continuar seus estudos. Além, disso, esse alto índice de satisfação com a escola, acaba atraindo ainda mais alunos.

6) Mais diversidade nas escolas

Ao oferecer um ensino personalizado, a escola abre espaço para o acolhimento da diversidade no ambiente escolar. Dessa forma, a educação se torna mais acessível e democrática, visto que considera as particularidades dos estudantes.

O resultado disso são ambientes mais diversificados, com alunos de realidades diferentes compartilhando experiências, contribuindo para o crescimento individual e coletivo não apenas no âmbito educacional, como também social.

Isso também amplia o repertório cultural dos alunos, além de estimular a interação e a troca de experiências, proporcionando a inclusão escolar e a interação com alunos de diferentes culturas, como estudantes indígenas e imigrantes, que segundo a Agência Brasil, tiveram um aumento de cerca de 112% de matrículas nas escolas brasileiras.

 

Leia também: Educação para a transformação social

Conheça o Novo Ensino Médio do SAE Digital

Como podemos personalizar o ensino?

Diante disso, vemos que a personalização do ensino é essencial. Mas como fazer isso? Bom, para colocar essa estratégia em prática é preciso primeiramente conhecer as particularidades dos alunos.

Para isso, os professores e as equipes pedagógicas precisam estar preparados para as mudanças. Em seguida, é fundamental adotar ações para avaliar as necessidades, dificuldades, habilidades, competências e interesses dos alunos.

Isso pode ser feito por meio de avaliações, formulários, mentorias ou até mesmo conversas individuais, a fim de identificar esses pontos e dar início ao plano de personalização do ensino.

Além de obter essas informações por meio do contato direto com os estudantes, também é fundamental avaliar uma análise do histórico escolar, atividades realizadas pelos alunos, análise comportamental e demais informações relevantes para o levantamento das particularidades de cada indivíduo.

Em seguida, é importante fazer um mapeamento das informações levantadas, para verificar necessidades e dificuldades em comum, facilitando o processo de adaptação do ensino. Além disso, pode ser interessante aplicar uma avaliação diagnóstica, para mensurar como anda o conhecimento dos alunos com as metodologias vigentes no momento.

Com os resultados em mãos, é a hora de avaliar os recursos disponíveis e as estratégias que podem ser adotadas com base no cenário estabelecido. É nesse momento que os docentes identificam a necessidade de aplicar avaliações diferenciadas, com frequências variadas, ou ainda adotar novas dinâmicas de avaliação baseadas nas tecnologias disponíveis.

Isso porque sabemos que nem todos os alunos se adaptam ao sistema tradicional de avaliação, que muitas vezes não reflete com exatidão a capacidade de apreensão do conteúdo ministrado.

É importante ressaltar que, para que esse processo aconteça, é fundamental que os professores estejam engajados com a proposta e alinhados com os objetivos da escola. Para isso, a instituição pode apostar em treinamentos para preparar o quadro de colaboradores (as) para as mudanças que serão implementadas, ressaltando a importância do papel de cada um (a) nessa jornada.

 

Quais são as estratégias para o ensino personalizado?

Para implantar um ensino personalizado na escola, será necessário identificar as demandas dos alunos e buscar metodologias que se ajustem às suas individualidades.

Se a escola achar necessário, pode contar com o apoio de uma consultoria especializada, que indicará quais as tecnologias educacionais ideais para as demandas da instituição, além de fornecer ferramentas para monitorar o desempenho dos alunos frente às novas metodologias de ensino e avaliação.

Algumas estratégias e projetos escolares inovadores podem ser grandes aliados para a personalização do ensino, pois utilizam tecnologias aplicadas à educação eficazes para essa adaptação. Confira a seguir algumas dessas estratégias.

1) Tutoria

O sistema de tutoria pode ser um excelente complemento para o ensino tradicional, pois consiste em uma monitoria extraclasse (individual ou coletiva) feita por um (a) tutor (a), a fim de tirar dúvidas que não puderam ser sanadas em sala de aula.

Esses atendimentos podem ser feitos de forma presencial ou on-line, possibilitando que o aluno tire suas dúvidas a qualquer momento, até mesmo em casa, e consiga prosseguir sua aprendizagem e desenvolvimento das atividades propostas.

 

Leia também: Tecnologia em sala de aula: Saiba qual é a mais adequada para cada segmento

 

2) Sala de aula invertida

A sala de aula invertida consiste em propor uma inversão na lógica tradicional da aprendizagem. Dessa forma, o foco dessa metodologia é o aluno, que deverá ter um contato prévio com o conteúdo, seja por meio de materiais digitais, como videoaulas, games, podcasts, entre outros.

Quando chegar à sala de aula, o conteúdo previamente estudado será aprofundado e discutido entre os colegas, complementado pelo professor através de projetos e atividades em grupo, além de sanar as dúvidas que surgirem entre os alunos.

Essa é uma forma de estimular o engajamento dos alunos e avaliar o ponto de vista individual, baseado no contexto e na realidade de cada estudante. Dessa forma, também é possível propor uma interação e um debate enriquecedor para a turma como um todo.

Além disso, essa proposta permite que o professor avalie o conhecimento de cada aluno, além da capacidade de abstração e absorção do conteúdo, bem como das estratégias utilizadas para o estudo individual em casa.

3) Ensino Híbrido

A metodologia de ensino híbrido alia a aprendizagem presencial à remota, possibilitando que o aluno estude tanto sozinho (de forma on-line) quanto em sala de aula com seus colegas e professores.

Essa proposta estimula o protagonismo dos estudantes em seu processo individual de aprendizagem com o auxílio da tecnologia. O principal objetivo do ensino híbrido, é promover uma aprendizagem personalizada e eficaz, adaptada à realidade social e ao contexto de cada aluno.

4) Games

Segundo a BNCC, a utilização de jogos ou games em sala de aula já fazem parte das práticas letradas do aluno desde a Educação Infantil:

“As diversas práticas letradas em que o aluno já se inseriu na sua vida social mais ampla, assim como na Educação Infantil, tais como cantar cantigas e recitar parlendas e quadrinhas, ouvir e recontar contos, seguir regras de jogos e receitas, jogar games, relatar experiências e experimentos, serão progressivamente intensificadas e complexificadas, na direção de gêneros secundários com textos mais complexos.” (BRASIL, 2018)

(BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, 2018).

Tudo sobre o Ensino Religioso e a BNCC

Seja na educação Infantil ou no ensino fundamental, os jogos podem ser eficazes para engajar os alunos e estimular a aprendizagem, explorando diferentes estímulos cognitivos.

O uso dos jogos pode ainda tornar as aulas mais dinâmicas e auxiliar na explicação de conteúdos teóricos mais complexos, possibilitando abordar conceitos subjetivos de forma mais leve e simplificada. Essa estratégia ainda pode:

5) Ambiente Virtual de Aprendizagem

As plataformas digitais de educação atuam como uma “sala de aula” virtual, que oferece ferramentas, como videoaulas personalizadas, aulas ao vivo, planos de estudo, atividades, conteúdos exclusivos, entre outras possibilidades de atividades para facilitar o processo de aprendizagem.

Esses ambientes virtuais possibilitam um ensino mais didático e eficiente, além de possibilitar a personalização do ensino, visto que cada estudante pode utilizar a ferramenta conforme o seu sistema de aprendizagem.

Seja através da gamificação, dos simuladores e atividades de avaliação formativa, fica mais fácil para a escola identificar as necessidades de cada aluno e avaliar sua forma de aprendizagem, com base em sua jornada dentro da plataforma.

Leia também: AVA SAE Digital: Conheça o Ambiente Virtual de Aprendizagem do SAE

6) Cultura maker

O movimento maker estimula a cultura do “faça você mesmo”, incentivando todos os estudantes a participarem efetivamente da resolução de um projeto, situação ou problema. Essa prática promove a autonomia e o protagonismo dos alunos, além de estimular a criatividade e o trabalho em equipe.

Dessa forma, também é possível avaliar o desempenho de cada aluno conforme as soluções propostas para a atividade, o que pode servir como subsídio para a personalização do ensino.

 

Por que a personalização do ensino pode ser considerada uma inovação educacional?

Diversos autores entendem a inovação educacional como um conceito que considera a necessidade de desenvolvimento de novas competências para lidar com os desafios complexos que surgem com as transformações da sociedade.

Eles ainda ressaltam a inovação no ensino associada ao uso de “novas tecnologias”, a fim de potencializar o desenvolvimento dos alunos e estimular suas habilidades e competências.

Dessa forma, podemos afirmar que a personalização do ensino pode ser considerada uma inovação educacional, pois utiliza de novos meios tecnológicos e metodologias inovadoras para personalizar o ensino conforme a realidade dos estudantes.

Isso acontece, pois o modelo tradicional de ensino não atende mais todos os alunos, visto que atualmente, as escolas se tornaram ambientes que acolhem as diversidades, precisando assim adaptar o ensino a esse novo cenário.

Principalmente após o período de pandemia, a educação passou por uma grande transformação para conseguir se adaptar ao contexto atual. Dessa forma, as escolas precisaram adotar sistemas de inovação educacional para suprir as novas demandas.

Personalização de Ensino  no SAE Digital

Se você quer saber como aplicar a personalização do ensino na sua escola, acompanhe o evento do SAE Digital dos dias 23 a 26/01, às 18h, que abordará os seguintes temas:

 

semana de formação sae digital personalização do ensino

Participe do nosso evento para saber como implementar a personalização do ensino na sua escola, além de tirar dúvidas e desenvolver a melhor estratégia para atender às necessidades de seus alunos.

O SAE Digital oferece diversas soluções que podem te ajudar a implantar não somente essa, como outras metodologias em sala de aula. Entre em contato com um dos nossos assessores para conhecer os diferenciais que oferecemos para a sua escola e saber como participar do nosso evento!

Catálogo 2023

Acessos