Diagnóstico de aprendizagem: Qual é a sua importância?

Mais do que nunca, o retorno às aulas em 2021, exige um planejamento bem estruturado para que a retomada às aulas aconteça de maneira organizada, segura e eficiente. Para isso, é fundamental realizar um diagnóstico de aprendizagem antes do início do ano letivo, para garantir que o processo de ensino e aprendizagem seja efetivo e contribua com o desenvolvimento dos alunos de modo eficaz.

A realização de um diagnóstico de aprendizagem foi recomendada pelo Conselho Nacional de Educação para o retorno às aulas presenciais, com o objetivo de verificar a efetividade do ensino remoto, identificar possíveis defasagens no aprendizado durante o período de quarentena, para então definir planos de ação visando reduzir os danos e assegurar que as aprendizagens essenciais sejam adquiridas ao longo do ano letivo.

O que é Diagnóstico de Aprendizagem?

O diagnóstico de aprendizagem – também conhecido como avaliação diagnóstica – é um instrumento avaliativo, realizado no início de um processo de aprendizagem, para obter informações sobre os conhecimentos, as habilidades e as competências prévias dos alunos. As informações obtidas por meio dele servem para guiar o planejamento docente e a escolha de intervenções pedagógicas adequadas para promover a recuperação dos pontos em que há dificuldade.

Os resultados da avaliação diagnóstica servem para explorar, identificar, adaptar e predizer sobre a aprendizagem, auxiliando as escolas a planejar intervenções iniciais e propor ações que contribuam com a evolução dos alunos, de modo que alcancem novos patamares de conhecimento, ao mapear as dificuldades apresentadas por cada turma e por cada aluno especificamente, identificando os pontos fortes e fracos para compreender o nível em que se encontram, e identificar as causas de dificuldades específicas dos estudantes na assimilação do conteúdo.

Assim, os professores elaboram ações para alcançar os objetivos esperados ao longo do ano e aperfeiçoar o processo de ensino e aprendizagem, prevenindo que as dificuldades se agravem e prejudiquem o processo educativo, pois são realizadas intervenções pedagógicas específicas para cada necessidade.

Educação inclusiva nas escolas – O que é?

Objetivos do diagnóstico de aprendizagem

Com as informações obtidas é possível elaborar estratégias pedagógicas para superar as dificuldades dos alunos e garantir a assimilação dos conteúdos ministrados em sala de aula, para que todos acompanhem o processo.

De modo geral, seus objetivos são:

  • Verificar as necessidades de desenvolvimento dos alunos.
  • Identificar as causas de dificuldades de aprendizagem.
  • Embasar o trabalho do professor.
  • Prevenir a defasagem da aprendizagem.
  • Aprimorar o processo de ensino e aprendizagem.
  • Analisar o ensino da escola de modo geral.

A avaliação diagnóstica costuma ser aplicada no início do ano letivo, mas, caso os resultados estejam abaixo do esperado no meio do ano, por exemplo, é possível reformular as estratégias para recuperar o desempenho dos alunos até o fim do ano letivo.

As características observadas na avaliação não se restringem ao âmbito acadêmico, mas consideram também os aspectos do desenvolvimento pessoal, que fazem parte das habilidades e competências necessárias para a aprendizagem.

BNCC e os modelos de Diagnóstico de Aprendizagem

De acordo com a BNCC, as instituições de ensino comprometidas com a aprendizagem ativa dos alunos devem basear seu trabalho nos seguintes princípios básicos contemplados no diagnóstico de aprendizagem:

  • Os conhecimentos prévios e as experiências dos estudantes.
  • O conteúdo a ser ensinado e sua natureza.
  • A variação de estratégias e o levantamento de múltiplas hipóteses didáticas.

“Verificar o que os estudantes sabem é condição fundamental para favorecer a escolha de estratégias didáticas que permitam ao professor provocar o estudante na construção de conhecimentos novos” (BNCC).

Para avaliar a aprendizagem dos alunos e formar um diagnóstico, é preciso utilizar procedimentos específicos para este fim, pois não basta perguntar a eles se sabem ou não sobre determinado tema – isso seria superficial e impreciso.

Um dos procedimentos adequado é a prática supervisionada, na qual o professor irá observar a produção do aluno a partir de um determinado conhecimento, seja assistindo-o durante a prática esportiva ou lendo um texto que escreveu. A observação permite identificar a maneira como o estudante organiza as informações que tem sobre o assunto para realizar a atividade e, consequentemente, utilizar essas informações para o planejamento de atividades futuras.

Outra maneira bastante eficaz é apresentar uma situação-problema para ser solucionada, que fará com que o estudante utilize os conhecimentos que tem sobre o assunto para resolver a tarefa.

Propor questões para que os alunos respondam também é uma forma adequada de fazer um levantamento de conhecimentos prévios, utilizando questões escritas ou orais, com o intuito de compreender o que eles sabem acerca de conteúdos mais teóricos.

Para conhecimentos relacionados às atitudes, como valores, comportamentos, afetividade e aspectos socioemocionais, o ideal é realizar rodas de conversa e dramatizações.

É importante ressaltar que conhecimento prévio não é o mesmo que pré-requisito: o primeiro refere-se aos conhecimentos já construídos, enquanto o segundo trata da relação de conteúdos ou habilidades para definir os conteúdos necessários ao aprendizado de conhecimentos mais complexos. Porém, as atividades de levantamento de conhecimentos prévios só fazem sentido quando utilizadas com a finalidade de orientar o planejamento de um percurso de aprendizagem para os estudantes.

Leia também:

BNCC na prática: Como aplicar a tecnologia na Educação Básica

Habilidades da BNCC: O que são e para que servem?

Como fazer um Diagnóstico de Aprendizagem?

A maneira mais comum de realizar uma avaliação para formar um diagnóstico é a aplicação de provas. Entretanto, outras atividades devem ser utilizadas em conjunto para não reduzir o aluno a uma classificação pautada em notas. Portanto, o aspecto importante da avaliação diagnóstica que a difere das demais formas de avaliar é a prevenção, pois prevê as dificuldades e permite realizar intervenções imediatas.

Sendo assim, a ideia da avaliação para obter um diagnóstico de aprendizagem não é desvalorizar os alunos que apresentarem dificuldades e um baixo rendimento, mas sim ajudá-los em seu desenvolvimento e aperfeiçoamento.

As formas mais comuns utilizadas para fazer um diagnóstico de aprendizagem são:

  • Provas: relação de questões a serem respondidas sem consulta, de forma oral ou escrita.
  • Produções individuais: escrita de um texto sobre o assunto que se quer avaliar.
  • Seminários: produção e apresentação oral de trabalho sobre um tema específico.
  • Listas de exercícios: relação de atividades a serem realizadas para responder ou solucionar uma questão.
  • Trabalhos em grupo: produção de um trabalho escrito, compartilhando os conhecimentos com os colegas sobre o tema proposto.
  • Autoavaliação: o próprio aluno avalia sua aprendizagem, suas dificuldades, o que precisa ser melhorado e seus pontos fortes.
  • Conselhos de classe: os professores em conjunto avaliam as habilidades e competências de cada aluno, compartilhando suas percepções.
  • Observação de desempenho: o professor observa as produções teóricas e práticas do aluno.

Outros instrumentos avaliativos para formar um diagnóstico de aprendizagem, de acordo com a BNCC, podem ser:

  • Portfólio.
  • Produção de gêneros orais (slam, ou batalha).
  • Debates regrados.
  • Saraus.
  • Exposições orais em eventos escolares.
  • Produção de vídeos e animações em stop motion (quadro a quadro).
  • Dramatizações e encenações.
  • Montagem de exposições.
  • Painéis.
  • Linhas do tempo e publicações temáticas, como revistas, cadernos temáticos e livros.

Para que esses métodos sejam eficazes e tenham a finalidade real de avaliar a aprendizagem, é preciso que os objetivos estejam bem definidos e se pautem em diferentes formas de avaliação, utilizadas em conjunto para formar um diagnóstico final bem embasado.

Assim como nas provas tradicionais, essas atividades fazem com que os alunos utilizem os conhecimentos que já possuem sobre determinado assunto e apresentam o mesmo resultado de uma avaliação mais usual.

Após a aplicação da avaliação diagnóstica, é possível estabelecer um diagnóstico de aprendizagem e utilizá-lo a favor do aprimoramento das práticas educativas, seguindo estas etapas:

  • Mapear os resultados: analisar os resultados e elaborar um relatório das habilidades por disciplina, com o rendimento de cada turma e cada aluno.
  • Planejamento: definir estratégias para recuperar o desempenho dos alunos.
  • Acompanhamento: verificar se as estratégias estão sendo eficazes e pensar em novas maneiras de ensinar, caso seja necessário.

Educação inclusiva nas escolas – O que é?

O que avaliar no Diagnóstico de Aprendizagem?

De modo geral, o que deve ser avaliado no diagnóstico de aprendizagem é a qualidade de ensino oferecido pela escola e o desempenho dos alunos, a partir dos seguintes dados já mencionados:

  • Os conhecimentos prévios e as experiências dos estudantes.
  • O conteúdo a ser ensinado e sua natureza.
  • A variação de estratégias e o levantamento de múltiplas hipóteses didáticas.

Além disso, outros pontos avaliados e identificados no diagnóstico fundamentais para aprimorar o processo de ensino e aprendizagem são:

  • Verificar as necessidades de desenvolvimento dos alunos.
  • Identificar as causas de dificuldades de aprendizagem.
  • Embasar o trabalho do professor.

Como o SAE Digital pode ajudar?

A Avaliação Diagnóstica do SAE Digital surgiu a partir de uma preocupação em verificar a aprendizagem dos alunos durante este período de quarentena, quando foi necessário o afastamento das aulas presenciais por conta da pandemia da COVID-19. Dessa forma, esse instrumento faz parte do pacote de soluções desenvolvido pelo SAE Digital frente ao contexto de isolamento social corrente em 2020.

Leia também: Avaliação diagnóstica na retomada das aulas

O SAE Digital elaborou avaliações diagnósticas e disponibilizou um guia de aplicação completo para ajudar as escolas conveniadas nessa tarefa, com materiais para aplicação impressa e on-line, cujo público-alvo inclui Ensino Fundamental — Anos Iniciais (1º ao 5º ano). Ensino Fundamental — Anos Finais (6º ao 9º ano) e Ensino Médio (1ª a 3ª série/Extensivo).

Nesse cenário, a Avaliação Diagnóstica do SAE Digital tem como propósito identificar especialmente as necessidades de desenvolvimento dos alunos, oferecendo às escolas mais um indicador para embasar e direcionar suas estratégias de trabalho pedagógico e planejamento docente.

O conteúdo das avaliações contempla as principais habilidades contidas nos livros didáticos que foram trabalhadas até o momento de forma remota. As questões contêm um texto-base para auxiliar na compreensão e assimilação do tema, seguido de um enunciado e alternativas de respostas.

Os resultados fornecerão os dados para a avaliação diagnóstica, com o desempenho da turma para cada habilidade avaliada em cada um dos componentes curriculares, sendo essa a base do diagnóstico. Essas informações apontarão os pontos de dificuldade da turma, a partir dos quais os professores poderão basear suas abordagens futuras.

Para saber mais sobre a Avaliação Diagnóstica do SAE Digital e como aplicá-la na sua escola, fale com um de nossos assessores!

Continue acompanhando nosso blog para se manter informado sobre as novidades na área da educação. Visite também nossas redes sociais para conferir conteúdos exclusivos!

Diagnóstico de aprendizagem

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Acessos