Pesquisa sobre o ensino remoto: Como aplicar na sua escola?

Uma pesquisa realizada pelo Centro de Inovação para a Educação Brasileira (CIEB) analisou o Planejamento das Secretarias de Educação do Brasil para ensino remoto. Clique aqui para ter acesso ao documento completo.

A partir desses dados, é possível perceber que as escolas brasileiras ainda não estão bem preparadas para oferecer o ensino remoto, tampouco estão totalmente integradas à tecnologia educacional, essencial nos dias atuais.

O ensino remoto não é uma realidade nas escolas brasileiras, principalmente na Educação Básica, portanto, há dificuldades para oferecer essa alternativa aos alunos e dar continuidade à aprendizagem diante do isolamento social, decorrente da pandemia da COVID-19.

Em caráter excepcional de emergência, o MEC autorizou as instituições a oferecerem aulas remotas para todas as etapas da educação, de modo que elas atendam assim as necessidades do momento.

Entretanto, a comunidade escolar ainda tem reservas quanto a essa prática, ao acreditar que não é oferecido o mesmo aproveitamento da sala de aula e que não é eficiente, pois se distancia muito do formato tradicional e as escolas não estão preparadas para essa prática.

Ainda assim, a maior parte das instituições aderiu a esse modelo de ensino, visando não interromper a aprendizagem dos alunos e não prejudicar seu desenvolvimento. Logo, faz-se necessário realizar uma avaliação sobre o ensino remoto durante a pandemia e repensar o seu uso como alternativa e aliado no processo de ensino e aprendizagem, mesmo após esse período.

Como organizar a primeira reunião pedagógica do ano letivo

O ensino híbrido, por exemplo, que alterna entre ensino presencial e remoto, já é utilizado em muitas escolas, mesmo antes da pandemia, apresenta bastante eficácia e tem vários benefícios.

As aulas remotas apresentam diversas vantagens e também trabalham as competências essenciais da BNCC a partir das seguintes características:

  • Protagonismo: estimula o estudante a se comprometer e ter responsabilidade sobre seu próprio aprendizado. Com autonomia, define seu ritmo e seu cronograma de estudo, podendo explorar novas formas de aprender que lhe favoreçam.
  • Flexibilidade: horários e locais alternativos para estudar, de modo a se adaptar à rotina do aluno, estimulando também a autonomia.
  • Comodidade: estudar em casa evita o deslocamento até a escola, o que oferece mais segurança, economiza recursos financeiros e tempo, e é mais acessível para quem mora em regiões mais distantes.
  • Disponibilidade: os itens anteriores oferecem facilidades que garantem a presença do aluno nas atividades escolares, pois estar conectado à internet já é sua realidade e ele pode estudar onde e quando quiser.
  • Aprofundamento dos conhecimentos: dispõe de maior acesso a informações e recursos digitais que oferecem conteúdos mais interativos e completos, estimulando o desenvolvimento de novas habilidades tecnológicas e comportamentais.

Diante de tais vantagens, uma pesquisa sobre o ensino remoto para avaliar a satisfação dos pais e alunos irá ajudar as escolas a identificarem se os recursos que oferecem são adequados e suficientes para suprir as necessidades educacionais dos estudantes no ensino remoto.

Os resultados são importantes para avaliar a qualidade dos serviços prestados pelas escolas e buscar melhorias, explorando outras opções ou planos de ação escolar para atender melhor sua comunidade.

Por que realizar a pesquisa sobre o ensino remoto?

A pesquisa pode servir também como um recurso de comunicação, pois dá espaço e voz aos membros da comunidade escolar, ao valorizar sua opinião e participação, fortalecendo os vínculos entre a escola e as famílias.

A comunicação com a família e sua proximidade com a instituição são fundamentais para que o trabalho da escola seja bem delineado às necessidades da comunidade e esteja sempre melhorando com a ajuda de todos os envolvidos.

Tratando-se de instituições particulares, a opinião de quem usufrui dos produtos e serviços é muito válida para saber o que os clientes esperam e o que fazer para atender suas exigências e oferecer um trabalho de qualidade, garantindo a fidelização e a captação de novos alunos.

É responsabilidade da escola incentivar a participação dos familiares na vida escolar de seus filhos, e a pesquisa ajudará a firmar essa parceria e o compromisso com o desenvolvimento de seus educandos.

O que avaliar?

Com o fechamento das escolas e a suspensão total das aulas presenciais, o ensino remoto tem sido a única maneira de os estudantes continuarem seu processo educativo, que por sua vez envolve muitos aspectos.

Sendo assim, as instituições de ensino precisam garantir que todos eles sejam abordados, por exemplo:

  • Formas de avaliação: se a escola oferece recursos tecnológicos que permitem aplicar diversas técnicas de avaliação on-line, para verificar a aprendizagem dos alunos em casa.
  • Aulas: se a escola está disponibilizando videoaulas com transmissões ao vivo ou gravadas nos dias e horários habituais dos encontros presenciais da turma, de modo a promover o constante contato entre educador e estudantes.
  • Materiais didáticos: se os alunos estão tendo acesso a livros e apostilas, em formato físico ou digital, para nortearem e complementarem seus estudos.
  • Orientações dos professores: se os alunos estão recebendo as informações necessárias para realizar as atividades em casa e sanar suas dúvidas.
  • Comunicação com a escola: se a escola oferece espaço para a família obter informações, tirar dúvidas e ter acesso ao desempenho dos alunos.
  • Plano de aula: se foi definido um plano de aula adaptado para o momento específico que as escolas estão enfrentando, para facilitar a adesão dos alunos.
  • Atividades: se as atividades repassadas aos alunos são adequadas.
  • Planejamento: se a escola está preparada para dar suporte e oferecer o ensino remoto, e se preparou a equipe e adaptou o Projeto Político Pedagógico para se adequar ao ensino à distância durante a pandemia.
  • Cronograma: se há dias e horários definidos previamente para cada aula, respeitando o currículo e o plano de aulas remotas, para os alunos se programarem e definirem uma rotina de estudos.
  • Contabilização de carga horária: se está sendo feito o acompanhamento das atividades realizadas pelos alunos e da participação nas videoaulas.
  • Recursos digitais: se a escola oferece plataformas digitais para realização de atividades, avaliações, disponibilização de materiais, videoaulas, canal de comunicação entre professores e alunos, entre outros.
  • Funcionalidade: se estão conseguindo realizar as atividades em casa com os recursos oferecidos pela escola, assimilar os conteúdos abordados nas videoaulas e aprender a distância.
  • Efetividade: se o formato de ensino remoto oferecido pela escola está ajudando os alunos a aprenderem e desenvolverem suas habilidades, de modo semelhante às aulas presenciais.

Como organizar a primeira reunião pedagógica do ano letivo

Como elaborar a pesquisa sobre o ensino remoto?

Uma das maneiras mais eficazes de avaliar o desempenho da escola é a utilização de métricas, monitorando continuamente os indicadores de satisfação para identificar pontos que precisam de melhorias.

A gestão escolar utiliza os dados obtidos com base em estatísticas para analisar cada aspecto do serviço oferecido pela instituição, nesse caso, estrutura para o ensino remoto.

A metodologia Net Promoter Score (NPS) é um recurso ideal para elaborar a pesquisa sobre o ensino remoto, pois gera dados concretos sobre a opinião dos entrevistados e uma métrica eficaz para a gestão da escola. Trata-se de um método de pesquisa de satisfação e fidelidade do cliente, que identifica o que precisa ser aprimorado em seus produtos e serviços, visando o crescimento da empresa ou instituição.

Foi desenvolvido em 2003 por Fred Reichheld, autor e pesquisador na área de negócios, e apresentado em seu livro The one number you need to grow, publicado pela Harvard Business Review, que consiste em atribuir uma nota em uma escala entre 0 e 10 com a seguinte classificação:

  • 0 a 6: insatisfação
  • 7 ou 8: neutralidade
  • 9 ou 10: satisfação

Para calcular o resultado, basta subtrair a porcentagem de insatisfação pela porcentagem de satisfação. Com base nos resultados, será possível saber se os pais e alunos estão satisfeitos com o trabalho da escola e identificar os aspectos que precisam ser melhorados.

É possível utilizar como base a NPS e moldá-la de acordo com as necessidades institucionais. Para aplicá-la de maneira correta é preciso:

  • Definir os objetivos da pesquisa: o que especificamente a escola pretende obter com os resultados.
  • Fazer a pergunta certa: alinhar a questão ao objetivo, expressando de forma precisa o que se pretende dizer e saber.
  • Uma abordagem assertiva: propor a realização da pesquisa de modo a estabelecer uma boa comunicação com os familiares, aproximando-os da escola e dando voz às suas opiniões.
  • Assumir caráter confidencial: garantir que os participantes da pesquisa se sintam à vontade para realizar o feedback de modo realista.
  • Classificar e interpretar os resultados: identificar cada grupo de respostas e calcular a porcentagem final.

Além das perguntas quantitativas, é interessante propor questões qualitativas, convidando os participantes a justificarem suas respostas, para assim explorar sua opinião.

Como aplicar a pesquisa?

A pesquisa pode ser feita e aplicada através de formulários digitais, como o Google Forms, que é um aplicativo de gerenciamento de pesquisas on-line e gratuito, que coleta e organiza informações sobre um tema específico. É uma ferramenta simples e objetiva. Basta acessar o link da pesquisa e responder às questões com a nota que considerar adequada.

Existem várias formas utilizadas para a aplicação da NPS, como em formulários impressos ou digitais, em aplicativos ou plataformas virtuais, disponibilizados através de redes sociais, e-mail ou ferramentas de comunicação on-line, entre outros. Cabe à escola definir a melhor forma de realizar a pesquisa.

pesquisa sobre o ensino remoto

Modelo de pesquisa sobre o ensino remoto na escola

Preparamos 10 perguntas relacionadas à satisfação dos pais e alunos com o ensino remoto oferecido por sua escola, para você ter uma ideia de como realizar sua pesquisa.

A NPS propõe uma pergunta-chave que aborda de modo geral o objetivo da pesquisa, que é saber se o ensino remoto da escola é satisfatório:

“Em uma escala de 0 a 10, quanto você acredita que o ensino remoto oferecido pela escola é eficaz?”

As demais perguntas podem aprofundar a opinião, abordando cada aspecto relacionado à pergunta-chave, por exemplo:

1 — Em uma escala de 0 a 10, o quanto você considera que as atividades para o ensino remoto são adequadas?

2 — Em uma escala de 0 a 10, o quanto você considera que as videoaulas transmitem os conteúdos escolares corretamente?

3 — Em uma escala de 0 a 10, o quanto você considera que os materiais oferecidos são suficientes para aprender em casa?

4 — Em uma escala de 0 a 10, o quanto você considera que os recursos digitais da escola ajudam no ensino a distância?

5 — Em uma escala de 0 a 10, o quanto você considera que os professores dão a devida orientação aos alunos?

6 — Em uma escala de 0 a 10, o quanto você considera que as aulas remotas suprem as necessidades de aprendizagem dos alunos?

7 — Em uma escala de 0 a 10, o quanto você considera que o cronograma de videoaulas e atividades virtuais da escola funciona?

8 — Em uma escala de 0 a 10, o quanto você considera que a escola fornece as informações necessárias para realizar os estudos em casa?

9 — Em uma escala de 0 a 10, o quanto você considera que as avaliações são eficazes nessa modalidade de ensino?

10 — Em uma escala de 0 a 10, o quanto você considera que a escola está preparada para oferecer o ensino remoto?

Como o SAE Digital pode ajudar sua escola a melhorar o ensino remoto?

A Tecnologia Educacional Relevante do SAE oferece recursos digitais para a sua escola aplicar o ensino remoto com qualidade, facilitando o processo de ensino e aprendizagem em casa. Confira alguns:

  • Videoaulas: permitem manter a rotina de estudos, abordando os conteúdos curriculares e a interação de forma virtual. As videoaulas ficam arquivadas e podem ser assistidas quantas vezes forem necessárias para a assimilação.
  • Materiais digitais: são ferramentas complementares às videoaulas, como o livro digital, que aborda os conteúdos de forma interativa, e atividades, como jogos educativos virtuais.
  • Realidade Aumentada: é um aplicativo que capta os marcadores contidos nos materiais didáticos e geram projeções gráficas digitais sobre o conteúdo
  • Ambiente Virtual de Aprendizagem: plataforma digital que reúne materiais digitais, videoaulas, atividades e avaliações, e permite a interação entre professores e alunos.

___________________________________________________________________

pesquisa sobre o ensino remoto

Agora que você já sabe como aplicar uma pesquisa com os pais sobre o ensino remoto e percebeu sua importância, conte com o SAE Digital para melhorar o serviço oferecido. Converse com um dos nossos especialistas e faça parte das escolas inovadoras!

Para ter acesso a mais conteúdos como este e ficar por dentro das novidades educacionais, continue acompanhando nosso blog e nossas redes sociais. (Facebook | Instagram)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Acessos